Rede Sol » Notícias

27.12.2010Mais de 14 mil pessoas foram atendidas pela Rede Sol em 2010

Em 2010, o programa Rede Sol levou programação artística para 14.500 pessoas atendidas por entidades assistenciais. Nesta rede de solidariedade, comandada pela Fundação Cultural de Curitiba, com apoio de pelo menos 60 artistas voluntários, o público de asilos, creches, orfanatos, hospitais e escolas especiais recebe periodicamente apresentações de música e teatro, shows de mágica e palhaços, entre outras atividades de entretenimento.

Há 13 anos o programa garante alegria, descontração e lazer para crianças e adultos que são abrigados ou frequentam essas instituições. A Fundação Cultural fica encarregada de agendar as apresentações e garantir a estrutura necessária. Instituições e voluntários também contam com o Grupo Servopa, que coloca à disposição um veículo exclusivo para fazer o deslocamento dos artistas às comunidades.

"As atrações da Rede Sol contribuem muito para o nosso trabalho", diz a professora Regina Célia Miara Schuartz, que há 30 anos trabalha com crianças e adolescentes da Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional. "Só temos a agradecer. As apresentações agregam mais conhecimento aos nossos alunos, que são muito sensíveis à música e à arte. Eles interagem, prestam atenção, aplaudem. Pelo comportamento deles, a gente percebe que gostam muito", conta Regina.

Para a maioria dos alunos, as atividades da Rede Sol são a única oportunidade de contato com artistas, pois suas famílias não dispõem de recursos para proporcionar a ida a esse tipo de espetáculo. "Eles precisam muito de estímulo visual e auditivo, por isso só temos elogios a fazer a essa iniciativa". Regina lembra-se especialmente de uma apresentação do pianista Davi Sartori, com o qual as crianças se identificaram muito. "Todos queriam abraçá-lo ao final da apresentação", recorda.

Para Davi Sartori, a experiência de participar como artista voluntário da Rede Sol tem sido gratificante. Pianista da Orquestra À Base de Sopro e acostumado aos palcos, Davi explica que tocar para os internos dessas instituições provoca emoções diferentes. "A música mexe com os seus sentimentos mais profundos. Não é algo superficial. Esse retorno, para nós, artistas, é muito importante". O pianista tem feito várias apresentações pelo programa, levando seu teclado e um repertório de música popular brasileira. "Gosto de tocar choro, samba e bossa-nova, mas também dou liberdade para que as pessoas escolham algumas músicas."

Coordenadora pedagógica da Escola Especial Vivian Marçal, Fernanda Gisele Matsuda confirma os benefícios do programa. "A gente não se dá conta do impacto que a arte tem na vida das pessoas, até vermos o quanto ela é importante para nossos alunos", diz a pedagoga. "São crianças e adolescentes com dificuldades motoras graves, muitos não falam, mas diante de um espetáculo musical conseguem expressar suas emoções", afirma.

O Rede Sol ganhou o prêmio Zilda Arns - Top Social ADVB-PR, na categoria Cultura, concedido em 2005, ano no qual o programa foi homenageado com o lançamento de um cartão telefônico da Brasil Telecom. Em 2007, recebeu o Prêmio Gente que Faz de Verdade, da ONG Centro de Movimentos Sociais. Os artistas e instituições que tiverem interesse em integrar essa rede de solidariedade podem entrar em contato com a coordenação do programa pelo telefone (41) 3213-7571.

 

 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar