Agenda de Artes Visuais

[Museu Municipal de Arte e Regional Pinheirinho] Exposição "A Invasão dos Robolitos"

A Invasão dos Robolitos visa garantir suporte para realização de 4 esculturas medindo entre 5 e 3 metros, em formato dos personagens conhecidos como Robolitos criado pelo artista Adriano Bohra. O objetivo é instalar e exibir ao público estas  obras lúdicas do artista curitibano Adriano Bohra conhecido também como Robolito, os locais em que as ações irão acontecer serão no MuMA "Portão Cultural" durante o mês de novembro de 2016 até 2017 e na Rua da Cidadania Pinheirinho durante o mês de dezembro 2016 até 02 fevereiro de 2017, depois segue itinerante em outros espaços pela cidade durante a execução do projeto que foi contemplado pelo Edital Livre da Lei Municipal de Incentivo à Cultura da Prefeitura Municipal de Curitiba e Fundação Cultural de Curitiba.

 

Sobre

Adriano Bohra ou Robolito é natural de Curitiba, morador do bairro Campo de Santana. Um artista autodidata que trabalha com diversas linguagens artísticas, influenciado por graffiti, desenhos animados, histórias em quadrinhos, Ufos e filmes de ficção científica, a partir dessa influência começoudesenvolver sua trajetória na arte urbana e outras manifestações artísticas. Seu estilo de trabalho envolve personagens robôs alienígenas imaginários conhecidos como Robolitos, como ele mesmo
afetuosamente chama suas criações, sua técnica de trabalho usa formas geométricas dividindo a estética das suas criações com peças orgânicas, máquinas, objetos, o híbrido, e o lúdico.

 

Período: 

25/11/2016 a 26/03/2017 no Museu Municipal de Arte - MuMA (Portão Cultural)

02/12/2016 a 02/02/2017 na Rua da Cidadania Pinheirinho

 

mais

[Centro de Arte Digital] GifEmotion

A mostra GifEmotion é composta por gifs animados criados pelo designer e artista gráfico Leandro Catapam, a partir de colagens que mesclam processos manuais e digitais na execução.

 

O conceito principal é introduzir a dinâmica do movimento na composição inicialmente estática da colagem. A formatação em gif gera a justaposição entre o repouso e o movimento, pois diferentemente de um resultado em vídeo, a execução prioriza a marcação de quadros para confrontar a oposição dos significados. O gif personifica algo impossível que pode ser traduzido como uma espécie de deslocamento imóvel.

 

Junto a tais aspectos paradoxais "GifEmotion" traz a representação de manequins inanimados que através da estética de gifs, são inflados de vida e emoção, caracterizando um tipo de existência singular, uma emoção digital e introspectiva. Dentre as diversas interpretações do nome, observa-se os termos emotion e motion como pilares auxiliares ao antagonismo conceitual presente nas materializações.

 

Os manequins, ora em paisagens orgânicas e realistas, ora em ilustrações de enciclopédias e livros antigos, permanecem como a antítese do movimento e promovem a reflexão e a consciência do seu novo estado, corroborado também pelos títulos poéticos e oníricos das obras.Uma certa nostalgia advinda da técnica de colagem aliada ao encontro inusitado de personagens e situações, reforçam essa dualidade e buscam romper as barreiras entre o registro manual e estático e as possibilidades dinâmicas digitais.

 

Sobre o artista

Leandro Catapam é designer gráfico e professor do curso de Design Gráfico na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Seu trabalho experimental como artista gráfico tem como objetivo o exercício da criatividade de forma complementar aos processos comerciais e acadêmicos de expressão no design.
 

mais

[MuMA] (in)Formando Novos Talentos

Um projeto inovador, que aposta em fotógrafos amadores e no poder da tecnologia mobile. Assim é o (in)Formando Novos Talentos, concurso cultural no qual os artistas finalistas terão suas fotografias publicadas em um livro-catálogo, além de uma exposição coletiva no Museu Municipal de Arte e em cinco Regionais da cidade. Como diferencial, a iniciativa valoriza o potencial do celular como equipamento fotográfico.

 

O projeto foi idealizado pelos produtores culturais Mauricio Vieira e Vanessa Múrio e contou com o incentivo do Banco do Brasil, Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal de Curitiba. Na primeira fase, 20 finalistas foram selecionados por uma comissão julgadora. Esses novos artistas participaram de quatro workshops gratuitos, capacitando-os para a produção, redação, diagramação, impressão e edição de um livro artístico.

 

Os finalistas também participaram de um ranking de votação pelo site do projeto, na categoria júri popular. Os cinco vencedores – primeiro, segundo e terceiro lugar, menção honrosa e júri popular – serão divulgados em 8 de Fevereiro às 19h30, na abertura da Exposição e Lançamento de livro-catalogo que acontecerá no MuMA – Museu Municipal de Arte. A curadoria ficou por conta de Julie Belfer, consultora de arte renomada e professora de cursos livres para grupos fechados, como o Young Presidents' Organization.


Artistas selecionados: Alan Nihei , Ana Karina Prado, Bruno D. Sampaio, Cesinha Marin, Christian Schönhofen, Daniel Rebello, Gabriel Ekermann Fiori, Jacke Sakai, Janaine Setenarsky, Juliana Rybzinski, Lucia Biscaia, Mariana Alves, Matheus Schemiko, Michelle Barllet, Raina Costa, Tessalia S. de Castro, Tom Pesch, Verônica Filipak, Vinícius Cidral e Wanderson Mosco.

 

Mais informações sobre o projeto: http://www.informandonovostalentos.com.br/

 

mais

[Museu da fotografia de Curitiba] Rèkomanse de Brunno Covello

A obra “Rekòmanse – outras faces, outras histórias” traz retratos do povo do Haiti em busca de um recomeço, seja em sua terra natal ou no Brasil

A esperança de dias melhores – ou de um “rekòmanse”, como dizem os haitianos, em crioulo – traz expectativas, sonhos, frustrações e, claro, coragem para recomeçar. É este mix de emoções que compõe o livro de fotografias do artista Brunno Covello. Inspirado pela trajetória dos haitianos que buscam uma vida nova em terras brasileiras, o fotógrafo imergiu na realidade deste povo.

As imagens do livro “Rekòmanse – outras faces, outras histórias” retratam o dia a dia dos haitianos, tanto em Curitiba, para onde muitos migraram, quanto em sua terra natal, no Haiti. Foram mais de 19 mil cliques, dos quais resultaram as duzentas fotografias criteriosamente selecionadas para a obra.

Ao longo das inúmeras sessões de fotografia, Covello integrou-se ao universo de seus personagens, a ponto de retratá-los em sua verdadeira essência. Conseguiu isso, no entanto, sem restringir-se ao sofrimento deste povo, mas com foco em suas histórias, raízes, força e fé arrebatadoras.

Hoje, estima-se que Curitiba (PR) e região metropolitana sejam o lar de mais de 8 mil haitianos, que migraram em busca de trabalho e de sustento. Muitos destes chegam ao Brasil sem saber ao menos o básico da Língua Portuguesa, sem segurança, sem contatos; mas com a coragem de lutar por um futuro melhor.

O evento conta com a apresentação do cantor haitiano Berthony Pierre, além de quitutes típicos feitos pelos haitianos que estarão à venda.

 

Sobre o autor

 

Brunno Covello, 32 anos, é filho do também fotógrafo profissional Júlio Covello e da arquiteta Teresa Elvira Gomes de Oliveira (in memoriam), que auxiliou o processo de regularização fundiária em Curitiba (PR), durante mais de 30 anos.

O primeiro contato do autor com os haitianos foi em 2014, quando foi escalado para fazer uma reportagem sobre xenofobia e agressões no ambiente de trabalho. Foi um episódio que mudou sua vida e o impulsionou a retratar a realidade daqueles que havia aprendido a admirar.

 

mais

[Museu da fotografia de Curitiba] Fotografias Analógicas de Neni Glock

O rio Tejo nasce na Espanha e termina sua trajetória atravessando a cidade de Lisboa em Portugal, antes de se juntar ao Oceano Atlântico.
O tema desta exposição, que na verdade é resultado das fotos de um livro com o mesmo nome, é o rio e a cidade branca à sua margem direita.


Um projeto que envolveu 14 anos de fotografias analógicas e que tinha como objetivo retratar o cotidiano da área portuária e as transformações realizadas por ocasião da Expo 98. O lado bucólico e antigo das margens do rio e a modernidade, por vezes se complementando, em outras sofrendo transformações drásticas.
Porém não se tratam de fotografias de registros, tampouco pretende-se ser cartões postais. O compromisso é antes com a arte fotográfica, com a estética, com as cores e com as pessoas que vivem, direta ou indiretamente em função do rio.


Originalmente o livro contém textos da renomada escritora e poeta portuguesa Alice Vieira.
Para a mostra a ser exibida no Solar do Barão do dia 31 de Março à 14 Maio, foram selecionadas 25 fotografias a cores tamanho 30X45
Estas mesmas fotografias e outras mais, foram, à convite da FNAC Portugal, expostas durante seis meses em itinerância em 6 de suas lojas em Lisboa e arredores.

Currículo Resumido


Neni Glock, é fotógrafo e documentarista, nasceu em Curitiba-Brasil em 1954 e trabalhou como cameraman para o jornal do SBT. Foi realizador e diretor de fotografia de documentários institucionais para o governo do Estado do Paraná.
Residiu em Portugal de 1990 até 2012, quando retornou à Curitiba.
Fotógrafo profissional a mais de 30 anos com publicações em revistas nacionais e estrangeiras com exposições no Brasil, Argentina, Portugal e Inglaterra.
Em Portugal atuou como free lancer para revistas de reportagens e decoração de interiores.
Publicou o livro -Os Eléctricos de Lisboa- Gradiva 1995 em parceria com Cristina Ferreira Gomes (texto).
Publicou livro fotográfico -Tejo- em parceria com Alice Vieira, textos Editorial Caminho 2009.
Realizou programas para a TV.
Autor e realizador de documentários em vídeo para RTP 2
Realizou documentários institucionais em Angola-África para ONG portuguesa.

 

 

mais

[Museu da Fotografia de Curitiba] Retratos de Isabella Glock

Isabella Glock nasceu em Lisboa, em 1995. Aos 16 anos, começou a estudar artes visuais e a fazer suas primeiras fotos, tanto com câmera digital, quanto analógica. Aos 17 anos se mudou para o Brasil e fez o curso de cinema do Centro Europeu.
Em 2014, começou o seu projeto autoral de retratos.
Atualmente, atua profissionalmente fotografando festas em bares alternativos de Curitiba, ocasionalmente, outros eventos, como aniversários ou outras festas.

"Esta é a minha primeira exposição. Comecei a fotografar os meus amigos, pois admirava a criatividade deles e queria registrá-los também para treinar o meu olhar fotográfico. Gostava de mostrar algo da personalidade da pessoa no retrato, para criar uma imagem pouco comercial e mais pessoal, então, fotografar pessoas conhecidas facilitava a criação do conceito das imagens, pois eu já tinha conhecimentos dos seus gostos e interesses.
Fui ganhando gosto em fazer retratos e aos poucos fui começando a produzir mais as fotos, sempre conversando antes com o modelo e decidindo juntos uma idéia que agradasse a ambos. Grande parte da produção é pensada só na hora, pois normalmente as fotos são feitas na casa dos modelos, ou na minha, então, eventualmente tirávamos uma peça de roupa daqui, um objeto de cenário dali.
As cores sempre tiveram bastante importância no meu trabalho e maioria das vezes saem assuntos provocantes ou polêmicos, inconscientemente ou não, que acabaram sendo o tema principal desta exposição."
 

 

 

mais

Cursos e Oficinas

ARTES VISUAIS PARA CRIANÇAS

Iniciação em desenho, pintura e escultura em papel.
Requisitos: Materiais indicados pela orientadora.

Data(s): 29/02/2016 a 02/07/2016 - 2ª e 6ª feira

Local: Av. Winston Churchill, 2033, sala 25 - Capão Raso

Valor: R$50

Classificação: 5 a 10 anos

Professor: Juliana Miquelin

Ateliê de Escultura

Formação, pesquisa e apoio a escultores.

Data(s): 01/02/2016 a 16/12/2016 - 2ª, 3ª, 4ª e 5ª e 6ª feira

Local: Av. Mateus Leme, 4700, Parque São Lourenço - São Lourenço

Valor: R$ 75,00 (mensalidade)

Classificação: 18 anos

Professor: Elvo Benito Damo

Informações: 3355-2676 

Atelier de Artes

 

Data(s): 08/08/2016 a 17/12/2016 - 3ª feira

Local: Rua Santa Bertila Boscardin, 213, Rua da Cidadania - Santa Felicidade

Valor: R$ 50,00 (mensalidade)

Classificação: a partir de 7 anos

Informações: 3374-5018 e 3374-5019

ATELIER DE LITOGRAFIA

Técnicas de litografia artística.

Data(s): 07/03/2016 a 30/06/2016 - 2ª, 3ª e 4ª e 5ª feira

Local: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Solar do Barão - Centro

Valor: R$ 70,00 (2x por semana) e R$ 140,00 (4x por semana)

Classificação: a partir de 18 anos

Professor: Stely Marchesini

Informações: 3321-3360 / 3321-3367

Atelier de Litografia

Técnicas de Litografia Artística.

Data(s): 08/08/2016 a 16/12/2016 - 2ª, 3ª e 4ª e 5ª feira

Local: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Solar do Barão - Centro

Valor: R$ 70,00 (2x por semana) | R$ 140,00 (4x por semana)

Classificação: 18 anos

Professor: Stely Marchesini

Informações e inscrições: 3321-3360 / 3321-3367 (9h às 12h – 14h às 18h – de 2ª a 6ª feira)