Notícias

01.04.2020Regionais têm aulas on-line de arte e cultura

Quem canta seus males espanta; quem desenha colore momentos; quem dança ou toca um instrumento alegra a alma. Com esse pensamento e buscando amenizar o impacto da suspenção das aulas presenciais, devido à pandemia de coronavírus, professores dos cursos e atividades da Fundação Cultural de Curitiba, do núcleo regional Boa Vista, estão transmitindo aulas on-line, usando aplicativos e outras ferramentas para garantir a continuidade das atividades.

São vídeos, tutoriais e aulas transmitidas pela internet, por meio de aplicativos e usando e outros formatos, que estão servindo para manter os alunos matriculados conectados às técnicas e aprendizados das aulas de música, teatro, danças, pinturas, desenho e atividades artístico cultuais.

As atividades, antes realizadas na Rua da Cidadania Boa Vista, no Centro Cultural Vilinha, Clube da Gente e outros espaços municipais, agora acontecem na casa de cada aluno, com a ajuda de computadores e telefones celulares.

A chefe do núcleo da Fundação Cultural Boa Vista, Cristina Herrera, explica que as aulas on-line são uma solução para manter os alunos conectados, integrados e usando a arte para superar as mudanças necessárias para garantir a saúde de todos.

“É triste pensar que a arte foi interrompida por força maior, porém a imaginação, que é combustível para a cultura, não para”, diz Cristina.

 

Aderiram ao novo formato de ensinar as professoras Nathalia Reichel (Ateliê Artístico Infantil), Eli Beraldi (Violão), Márcia Espíndola (Pintura em tela e desenho artístico), Fred Cabreira (Desenho e Ilustração) e Irene Frey (Teclado). Também estão com aulas adaptadas os professores Alcina Polli (Flauta), Carolina Bee (Ateliê Criativo) e Andréia Fragoso, de Teatro Infantil, Vivien Zanlorenzi (Pintura em Tela) e Luis Dellaroveri (violino).

Atividades teóricas e práticas

Cada professor adotou um método e definiu, conforme característica das turmas, frequência e possibilidades diferenciadas para a sequência das atividades teóricas e práticas.

Para seguir com as aulas de teatro musical, a professora Andreia Fraga, depois de consultar os alunos, optou por usar um aplicativo de mensagens para encaminhar vídeos, sugerir leituras, promover jogos teatrais. O grupo todo permanece on-line no dia e horário em que a aula deveria acontecer presencialmente e as interações vão acontecendo com a mediação da professora.

Segundo Andreia, o novo formado ajuda a ocupar o tempo das crianças e adolescentes e é, sobretudo, uma forma para usar as técnicas teatrais e conectar o mundo real ao imaginário neste período de isolamento social.

"Neste cenário de quarentena, as crianças, adolescentes e suas famílias têm modificadas também a forma de conviver e por isso fazem reflexões e discussões enriquecedoras. Perguntas, curiosidades e lembranças que vão surgindo são transformadas em produções de vídeos, poemas, composições musicais que são obras primas da arte teatral”, diz Andreia.

Toda a produção deste período será compilada pela professora em um documento audiovisual. "Não são atividades aleatórias, construí um planejamento diferenciado, com práticas continuadas e que serão transformadas em um rico documento de arte”, diz.

Compartilhamento de vídeos

Ensinar violão para adultos e crianças no Clube da Gente Boa Vista era uma das atividades profissionais da professora Elinei Beraldo Lopes. As aulas presenciais estão acontecendo agora por meio de uma plataforma de compartilhamento de vídeos.

“Gravo e posto os vídeos com todas as orientações para os alunos e fico à disposição deles para esclarecer as dúvidas. Eles também encaminham vídeos dos exercícios realizados para que eu possa avaliar e corrigir quando necessário”, diz Elinei.

Oferecer as aulas online, explica a professora, tem sido a estratégia para manter o vínculo com os alunos e incentivá-los ao retorno às aulas assim que possível. “Embora seja uma forma de nos mantermos ativos no aprendizado do instrumento, o ideal é que todos os alunos possam retornar às atividades quando o período de quarentena acabar”, completa Eli.

Adriane Delattri Rudnik Leal é uma das alunas de violão. “As aulas on-line estão sendo válidas e permitem a continuidade do nosso aprendizado”, diz Adriane. As dúvidas e dificuldades, diz Adriane, são respondidas com prontidão pela professora. “A música não pode parar, nosso conhecimento também não”, destaca a aluna.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: SMCS

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar