Notícias

29.05.2020Prefeitura atua contra impacto da pandemia na área cultural

Desde março, quando foram detectados os primeiros casos de covid-19 em Curitiba, obrigando a adoção de medidas de prevenção e distanciamento social, a Prefeitura e a Fundação Cultural de Curitiba desenvolvem ações para minimizar os efeitos da suspensão das atividades e fechamento dos espaços culturais junto aos artistas e ao público. Foram realizados vários projetos emergenciais para apoiar economicamente a classe artística e os trabalhadores do setor, e também para manter a cultura em funcionamento na cidade.

Uma das principais medidas foi o lançamento de um edital emergencial para seleção de conteúdos audiovisuais e divulgação nas redes sociais da FCC. Artistas de todos os segmentos e linguagens puderam se inscrever, enviando vídeos de seus trabalhos. Foi um edital abrangente, que atendeu, além dos artistas, os técnicos da área da cultura, como produtores, iluminadores, técnicos de som, cenotécnicos, cenógrafos, maquiadores, figurinistas e roadies.

A Prefeitura destinou R$ 450 mil para esse edital que beneficia 300 projetos culturais. Cada artista, neste caso, receberá o valor de R$ 1.500,00. O edital está em fase análise de recursos e em breve terá o seu resultado final publicado no Diário Oficial.

“O setor cultural é uma das áreas que mais sofre com as medidas de distanciamento social. Sabemos que será uma das últimas a retomar suas atividades. Esse edital foi uma das estratégias encontradas para minimizar os impactos junto aos trabalhadores do setor. Continuamos buscando alternativas que contribuam com os profissionais da cultura no enfrentamento desse grave momento de pandemia”, disse a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro, anunciando o lançamento, em breve, de um segundo edital emergencial.

De acordo com Ana Cristina, o novo edital será elaborado em conjunto com a classe artística. “O primeiro teve suas inscrições abertas um mês depois da decretação da situação de emergência em saúde pública, dado o caráter de urgência que a situação exigia. Agora queremos ouvir os artistas para estruturar esse segundo edital, cujo valor deve ficar em torno de R$ 420 mil”, adiantou.

Mobilização

A Fundação Cultural de Curitiba também está mobilizada para a aprovação do substitutivo do projeto de lei 1075/20, que destina ajuda de R$ 3 bilhões ao setor cultural durante a crise causada pelo coronavírus. O projeto garante recursos para renda mensal aos trabalhadores da cultura, subsídios para manutenção de espaços artísticos independentes, e para instrumentos de apoio, como editais, prêmios, chamadas públicas, aquisição de bens e serviços vinculados ao setor cultural.

A presidente da FCC manteve reuniões constantes com outras instituições e fóruns de cultura de todo o país. Na condição de presidente do Conselho Municipal de Cultura de Curitiba, enviou à Câmara Federal, em nome dos conselheiros municipais, uma carta de apoio ao projeto. (leia a íntegra)

O prefeito Rafael Greca encaminhou ofício no mesmo sentido ao presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia.

“Considerando a urgência de amenizar os impactos, evitar demissões e impedir a falência absoluta do setor cultural, manifestamos o apoio de Curitiba à concessão de benefícios emergenciais aos seus trabalhadores, certos de que Vossa Excelência e a Câmara dos Deputados serão solidários à justa proposta”, diz trecho do ofício. O projeto foi aprovado na última segunda-feira (25) e agora segue para o Senado.

Público

Além da questão econômica e a necessidade de buscar alternativas para a subsistência dos trabalhadores da cultura, a Fundação Cultural de Curitiba se preocupou em garantir a oferta de bens culturais à população durante o período de isolamento social. Para isso, criou o programa FCC Digital, que adaptou a Fundação Cultural de Curitiba a uma nova realidade. Atividades culturais de todas as linguagens artísticas e de patrimônio cultural passaram a ser ofertadas por meio das plataformas digitais.

“A Fundação Cultural de Curitiba está trabalhando para que as atividades culturais não sejam interrompidas, mesmo que de forma virtual, permitindo que a população tenha acesso aos serviços, bem como os artistas continuem produzindo e divulgando sua arte”, destacou Ana Cristina.

As principais novidades foram os concertos inéditos da Camerata Antiqua de Curitiba e dos grupos do Conservatório de Música Popular Brasileira transmitidos pela internet; o projeto multimídia Passeio em Casa, que mantém o Cine Passeio conectado com o público em salas de cinema virtuais, podcasts e masterclasses on-line; o Studio Virtual da Casa Hoffmann – Centro de Estudos do Movimento, que lançou um site e dois cursos de dança on-line, também inéditos; e mais recentemente o aplicativo do programa Curitiba Lê, que pode ser acessado pelo Curitiba App com a opção de mais de 200 títulos da literatura local, brasileira e universal.

O Conservatório de Música Popular Brasileira, a Gibiteca de Curitiba e os núcleos regionais da Fundação Cultural, que oferecem inúmeros cursos presenciais a cada semestre, estão com aulas pela internet, garantindo que os alunos recebam conteúdos e deem prosseguimento à sua formação. No Conservatório de MPB, as aulas teóricas, de instrumentos e de canto são realizadas via grupos on-line. Da mesma forma, professores estão ensinando técnicas de desenho e história em quadrinhos a alunos da Gibiteca.

Regionais

Nas regionais, vídeos, tutoriais e aulas transmitidas pela internet mantêm os alunos conectados às técnicas e aprendizados de aulas de música, teatro, dança, pintura, desenho, entre outros cursos. O Clube de Xadrez Erbo Stenzel também já se adaptou e tem realizado torneios pela internet.

Na área de patrimônio cultural, a FCC Digital abriu a sua plataforma no sistema Pergamum, permitindo a consulta on-line do acervo histórico e artístico do município. O sistema dá acesso, por exemplo, à visualização das obras existentes no Museu da Gravura, Museu da Fotografia, Museu Metropolitano de Arte – MuMA e Museu de Arte Sacra – MASAC, e das imagens e documentos do acervo histórico da Casa da Memória. Foram ainda disponibilizadas virtualmente as exposições “Curitiba Tempo e Memória” e “Presença negra em Curitiba”.

Mediadores das Casas da Leitura estão divulgando vídeos em que comentam sobre obras e autores, assim como faziam em rodas de leitura e contações de histórias que aconteciam enquanto as unidades estavam abertas ao público.

Muitas outras iniciativas estão sendo implementadas e divulgadas nas redes sociais da Fundação Cultural. “Nesse momento de isolamento social, é necessário usar a criatividade e encontrar alternativas que possibilitem o acesso aos conteúdos culturais, seja por meio da música, da dança, das artes visuais, enfim, trazendo um pouco de leveza nesses dias tão difíceis em decorrência da pandemia”, ressalta a presidente da FCC.

Confira todas as atrações pela página da FCC no Facebook e no site da Fundação Cultural de Curitiba:

https://www.facebook.com/fundacaoculturaldecuritiba/ e www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar