Notícias

06.06.2019Faróis do Saber de toda a cidade vão receber curitibinhas gigantes

O Projeto Lugar de Gigantes será estendido aos Faróis do Saber nas dez administrações regionais. O anúncio da ampliação para toda a cidade foi feito pelo prefeito Rafael Greca nesta quarta-feira (5/6), em reunião no gabinete com as organizadoras do projeto, Alessandra Flores e Cândida Monte, a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, e a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro.

“Um ateliê de prototipia de mamulengos representando histórias típicas da cidade e de seus moradores vai ensinar nossos curitibinhas diversas áreas do conhecimento, inclusive sobre a nossa história. É muito bonito e eu estou feliz em poder ver os curitibinhas gigantes”, afirmou Greca.

A "bonequeira" e jornalista Alessandra Flores, uma das idealizadoras do projeto, agradeceu ao prefeito pelo suporte. “Fiquei muito feliz com esse convite. E em saber que o prefeito da cidade viu a beleza e a importância de um trabalho ao qual eu me dedico há 20 anos", disse.

Para ela, o incentivo às pessoas para que valorizem as regiões onde moram é muito importante. "Eu realmente acredito que isso fortalece as pessoas, porque conhecer a história do seu lugar faz você crescer, faz ficar mais firme, faz ficar gigante”, completou.

A ação, que integra o Programa Linhas do Conhecimento, já foi bem-sucedida em duas escolas da Regional Boa Vista. Duas personagens já nasceram dos bairros Bracatinga e Bairro Alto e viraram gigantes com mais de três metros de altura, uma agricultora estudante e uma mulher indígena. Os bonecos são criados a partir de histórias de vida. Primeiro as crianças pesquisam histórias do bairro, das pessoas que vivem ali, lendas e mitos da região, depois através das pesquisas é formada a figura da personagem.

A matéria-prima utilizada é o vime, muito comum na construção de móveis. Depois de pronta, a estrutura recebe uma camada de papel de seda, cores, adereços e figurinos. Após a confecção os alunos se unem e um cortejo no centro da cidade é realizado para expor a comunidade o trabalho realizado.

Criado em 2017, o Linhas do Conhecimento tranforma Curitiba em uma grande sala de aula, com aulas de campo e propostas culturais em parques, museus, faróis e outros espaços da cidade. Já beneficiou mais de 80 mil estudantes de escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIS).

Sobre o projeto
A construção de bonecos gigantes, segundo Alessandra Flores, foi um divisor de águas em sua carreira. Iniciou em 1999, a partir do trabalho com a companhia inglesa Rise Phoenix, de Londres, em regiões de pós-guerra como o Kosovo, Bósnia e Croácia, além de um projeto piloto na Índia. De lá para cá, ela não parou mais de criar coletivamente imensas criaturas.

No Brasil, esta é a terceira edição do projeto Lugar de Gigantes, que já foi realizado em bairros da cidade de Salvador e cidades do Recôncavo Baiano.

O processo de criação, Alessandra conta com extensa pesquisa sobre teatro de bonecos, tendo ela convivido com mestres de tradições em teatro de animação no Brasil (Mamulengo), na Índia (Katputli) e na Tailândia (Baan Naang Thalung). A pesquisa de histórias de vida como material para criação também tem sido uma constante no trabalho e na pesquisa acadêmica da artista.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar