13.09.2013Mais de 400 representantes da classe artística participaram do Papo de Classe

A série de encontros setoriais denominada “Papo de Classe”, que reuniu os representantes dos segmentos artísticos e a Fundação Cultural de Curitiba, teve a participação de 434 artistas, produtores e gestores. As maiores participações aconteceram nas edições de música, que contou com a presença de 74 representantes, e a de teatro, com 61.

As reuniões abertas foram realizadas de 12 de agosto a 10 de setembro, às segundas e terças-feiras à noite, no Teatro Londrina (Memorial de Curitiba). Foram discutidas questões específicas das áreas de música, teatro, literatura, dança, artes visuais, audiovisual, fotografia, circo e novas linguagens.

Os debates serviram para que a Fundação Cultural de Curitiba levantasse as principais demandas da classe, ouvisse críticas e sugestões, com vistas às mudanças nas políticas públicas culturais da cidade. Ao mesmo tempo, possibilitou que a atual gestão da Fundação Cultural apresentasse os programas e avanços feitos nos primeiros meses de gestão.

Para o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli, o resultado foi positivo, pois estabeleceu o diálogo entre a FCC e os artistas. “Propusemos um pacto com todos os segmentos em benefício da cultura da cidade. A partir desse contato mais aproximado, temos condições de construir juntos uma política cultural que atenda os interesses dos artistas e da sociedade”, afirmou Cordiolli.

A iniciativa também foi bem avaliada pelos participantes. A fotógrafa Karin van der Brooke disse que pela primeira vez, em muitos anos, percebeu a preocupação do poder público em escutar a classe artística. Gestora da Rede de Economia Criativa do Paraná, Patrizia Bittencourt Pereira destacou que o “Papo de Classe” representa novos tempos, sendo uma oportunidade “imensa” de ampliar as discussões. “Esperamos que essas reuniões sejam permanentes, para que as proposta da base cheguem à Fundação Cultural de forma mais sistemática”, disse. Alexandra Gil, do Circo de Alexandria, também elogiou os encontros. “Foi algo inédito. Todos ficaram à vontade para se manifestar. Parabéns pelo empenho em formar políticas públicas reais e com a participação coletiva”, afirmou.

As nove reuniões com os diferentes segmentos setoriais formaram a primeira rodada do Papo de Classe. Novos encontros serão agendados para garantir o diálogo permanente da FCC com todos os agentes do meio cultural curitibano.

Audiovisual encerra primeira rodada do Papo de Classe

“Papo de Classe” debateu rumos e possibilidades da fotografia

Papo de Classe debateu propostas para novas linguagens culturais

Setor de Artes Visuais debate políticas públicas no Papo de Classe

Comunidade debate incentivo à leitura e a produção literária curitibana

Papo de Classe: setor teatral e FCC debatem mercado e cenário atual

Fundação Cultural debate a cena musical curitibana com a comunidade

Artistas circenses participaram do “Papo de Classe”

Autor: Assessoria de Imprensa da FCC

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar