Notícias

31.01.2021Concerto de encerramento mistura estilos e linguagens

A Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba sobe ao palco do Guairão, neste domingo (31/1), às 11h, para o encerramento da 38ª Oficina de Música. Diversificado como as atividades oferecidas nos 14 dias de evento, o espetáculo on-line mesclará temas de compositores de épocas e estilos distintos como o inglês Gustav Holst, os brasileiros Chiquinha Gonzaga, Oswaldo Lacerda e Felipe Senna, o argentino Astor Piazzolla e bailarinos de tango. Para ver, basta abrir o link www.oficinademusica.org.br/aovivo.

“O espetáculo será o reflexo do espírito desse grande festival abrangente e representativo proposto e concretizado pela Oficina de Música”, resume o regente do espetáculo, Abel Rocha, pelo quarto ano consecutivo à frente da direção da etapa erudita da do evento.

Mosaico musical

O concerto vai apresentar os quatro movimentos da Suíte Saint Paul’s em Dó Maior, Op. 29, nº 2, escrita por Holst em homenagem à escola da qual foi diretor, e também homenagear Oswaldo Lacerda. Morto há dez anos, o compositor se caracteriza por uma linguagem nacionalista. Ele é o autor de Variações sobre uma Velha Modinha para clarinete e orquestra de cordas, de 1973, selecionada para o concerto.

Primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil e contemporânea de Holst e autora de sucessos até hoje executados no Carnaval, Chiquinha Gonzaga terá apresentada no espetáculo Gaúcho-Faceiro-Atraente. Mais conhecida como Gaúcho, a peça foi escrita para harmônica em 1895 e terá solo de clarinete de Jairo Wilkens.

O frevo Gabriela, de Felipe Senna, mostrará a nova música brasileira de concerto. A composição, conforme explica o autor, é inspirada na infância da sobrinha. Sua agitação foi por ele associada à multidão se deslocando pelas ruas do carnaval de Olinda, em Pernambuco.

Para ouvir e ver

A homenagem a Piazzolla – que faria 100 anos em 2021 e, por isso, é destacado no evento deste ano – e ao seu Novo Tango terá quatro tangos. Dois dos mais conhecidos dele (Adiós, Nonino e Libertango) e os também imortais La cumparsita (de Gerardo Matos Rodrigues) e El Choclo (de Ángel Gregorio Villoldo Arroyo). Os arranjos são de Ruffo Herrera, uma referência no bandoneon – o instrumento popularizado por Piazzolla e que, no espetáculo, terá solo do argentino Martin Mirol.

Os tangos embalarão a performance da dupla de professores, coreógrafos e dançarinos Vânia Andreassi e Juscelino Portela. “Música também é para ser vista”, diz Abel Rocha.

Outras atrações

Depois do concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, a programação do último dia de atividade da 38ª Oficina de Música será retomada com os shows Tumbalelê do Pererê (às 15h), os ritmos latinos do Quarteto Santa Helena (às 17h30) e a homenagem resultante da união do Projeto MusicaR com a Camerata Antiqua numa homenagem a Piazzolla (às 19h30h).

O evento termina com um recital da Orquestra à Base de Corda, do Conservatório de MPB, com o jovem compositor paulista e acordeonista de Mestrinho. No programa do show, canções de Piazzolla e do compositor e acordeonista Dominguinhos, que faria 80 anos em 2021.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

imprimir voltar