Notícias

12.04.2019Traços Curitibanos apresenta produção contemporânea e do passado

 Cerca de 100 desenhistas e estúdios que fizeram e fazem a história da produção local de ilustração, quadrinhos (HQ), caricatura e animação estarão na mostra Traços Curitibanos 3, que será aberta nesta sexta-feira (12/4), às 19h, no Museu da Gravura e na Gibiteca do Solar do Barão.

Serão oito salas temáticas ocupadas com os trabalhos, que se somarão aos do nacionalmente conhecido quadrinista curitibano José Aguiar, além de debates abertos ao público e eventos para professores da rede municipal de ensino. O público poderá ver os trabalhos expostos no Museu da Gravura até 5 de julho. Já a parte da exposição que ocupa a Gibiteca será encerrada antes, em 3 de junho.

“A mostra é um grande momento cultural que já está mostrando seu potencial. Com apenas três edições, faz parte do calendário oficial de eventos da cidade e concorreu ao 30° Troféu HQMIX na categoria Exposição Nacional”, observa o coordenador da Gibiteca, Fúlvio Pacheco, referindo-se ao Oscar das HQs no Brasil, realizado em 2018.

A Gibiteca integra a estrutura da Fundação Cultural de Curitiba e responde pela produção e curadoria geral do evento, que este ano coincide com a celebração do Dia Mundial do Desenhista. A data é comemorada em 15 de abril, aniversário de Leonardo da Vinci.

Traços atuais

Entre os destaques da mostra estarão os sketchers (desenhistas) Simon Taylor, Raro de Oliveira e Fabiano Vianna, que expõem o resultado de 80 dias de peregrinação pelo Centro Histórico de Curitiba para registrar monumentos, praças, casas e, principalmente, pessoas da região. Trabalhos do fotógrafo Washington Takeuchi completam a mostra, que é financiada pelo fundo da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Perto dali, terá lugar a coleção de ilustrações com colagens feitas por Adriano Catenzaro para cada uma das 27 capitais brasileiras. Os trabalhos foram criados manualmente com papéis recortados, recriando formas e detalhes de ícones urbanos de cada cidade. A exposição e a publicação a ela relacionada foram financiadas pelo fundo da Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

Desenhos antológicos

O Museu da Gravura também guarda a mostra Balas Zequinha. São originais em litogravura de 150 figurinhas produzidas no começo da década de 40 por Paulo Carlos Rohrbach, então com 16 anos de idade.

Durante apenas dois meses, elas foram criadas e reproduzidas na Impressora Paranaense a fim de acompanhar as embalagens das balas que se tornaram marca registrada de Curitiba. Inspirados no palhaço Piolin, os desenhos eram contextualizados em cenas vistas pelo artista em circos de Curitiba.

Rohrbach também criou o primeiro brasão do município de Curitiba e o do Estado, que estará exposto na Traços Curitibanos 3. O desenho integra o acervo particular da família do desenhista.

Curitiba Por Traços Curitibanos é uma coleção de ilustrações curiosas pinçadas por Antônio Éder de fontes diversas. Entre elas estão revistas do começo do século passado, jornais antigos, trabalhos feitos para agências de publicidade, HQs em que a cidade foi ambientada e desenhos inéditos colhidos nos acervos dos ilustradores. É a Curitiba vista pelos olhos de diversos artistas em diferentes épocas.

Eventos paralelos

17/5, às 19h, na Gibiteca – Debate com cartunistas participantes da Traços Curitibanos 3 sobre MEI (Microempreendedor Individual).

18/5, às 14h30, no Solar do Barão – Mediação da mostra para professores da rede municipal (Projeto Educação e Cultura).

6/6, às 8h30, no Solar do Barão – Formação continuada sobre a Traços Curitibanos 3 para os professores de Arte do 6º ao 9º anos da rede municipal.

5/7, às 19h, no Cine Passeio, encerramento geral da Traços Curitibanos 3 – Traços Curitibanos: Animação Curitiba – 2019, debate aberto ao público sobre a produção de animação em Curitiba com empresas e animadores. No local, na sala Valêncio Xavier, haverá projeção das animações.

 

Serviço: Traços Curitibanos 3

Mostra de ilustração, quadrinhos (HQ), caricatura e animação

Abertura: 12/4 (sexta-feira), às 19h

Local: Solar do Barão (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Centro)

Visitação: de terça-feira a sábado, das 9h às 12h e das 14h às 18h; domingos, das 12h às 18h

Entrada franca

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: FCC

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar