Notícias

03.12.2019Gibiteca expõe trabalhos de alunos da incubadora de arte digital

Peças de arte digital criadas por alunos da Incubadora da Gibiteca, da Fundação Cultural, estarão em exposição a partir de sexta-feira (6/12). Os trabalhos são a síntese dos quatro meses de curso que eles fizeram no segundo semestre – o terceiro de aulas desde que o espaço foi aberto, em agosto do ano passado, para ampliar as oportunidades de formação de desenhistas locais.

Desde então, aconteceram na Incubadora 13 cursos de Ilustração Digital e de Animação que formaram 84 alunos. O local também promoveu quatro workshops com 34 participantes, além de funcionar como espaço de produção para 71 artistas envolvidos com nove projetos.

Lançada em outubro, a publicação “Curitibinha na educação: bullying não” é um exemplo dos produtos da Incubadora, que também se encarregou de executar material de divulgação e placas indicativas para o espaço.
Oportunidade de conhecer e aprender mais

Vencedora de um concurso de HQ (Histórias em Quadrinhos) promovido pelo Colégio Estadual do Paraná sobre a história da instituição de ensino, a estudante de Ensino Médio Michele Carvalho de Souza, de 16 anos, foi premiada com uma bolsa para cursar Ilustração na Incubadora.

“Nunca pensei em fazer um curso e foi muito bom. Recomendo muito o da Gibiteca porque, além da parte técnica, o professor orienta a empreender”, conta Michele, que pensa em estudar Desenvolvimento de Jogos.

Já a estudante de Design da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) Giovanna Camarosk, de 24 anos, há muito pesquisava cursos de Ilustração Digital. A dificuldade, contou, era o preço.

Na Gibiteca, com a mensalidade atraente, decidiu investir mais na atividade que, de hobby de infância, vai se tornando habilidade profissional. “Recomendo fortemente o curso, que é excelente e agrega muito ao que vejo na faculdade. Também é preciso treinar sempre”, diz a estudante, que recebeu uma encomenda de trabalho depois de terminar o curso.
Para a comunidade

A Incubadora foi estruturada com parte da verba de apoio do Edital para HQ lançado pela Fundação Cultural em 2018 (cerca de R$ 20 mil) e doações. O objetivo é promover a criação digital para a comunidade.

Além de fazer cursos no local, os desenhistas que não possuem os equipamentos adequados para criar seus trabalhos podem usar a Incubadora nos horários livres.

Com o recurso do Edital foram comprados equipamentos como as seis mesas digitais novas, monitores, mouses, impressora, teclados e programas de computador, enquanto cinco computadores, seis pranchetas e quatro mesas de luz vieram de doadores. “Essa estrutura permite produzir profissionalmente desenhos, ilustrações e HQs”, resume o quadrinista e coordenador da Gibiteca, Fúlvio Pacheco.
A incubadora

O espaço homenageia o artista e professor da Gibiteca Adilson Orikassa, que durante 19 anos editou o Wacgiada – um dos fanzines mais longevos de Curitiba – e faleceu em 2012.

Os cursos oferecidos duram quatro meses e oferecem apenas 12 vagas. Os seis primeiros inscritos podem usar os computadores do local, enquanto os demais precisam levar laptops.

Os interessados em fazer os cursos em 2020 devem se inscrever a partir de 4 de fevereiro (no local ou pelo telefone), sem taxas. A mensalidade custa R$ 90, pagos diretamente aos professores.

As turmas de Animação têm aulas na terça-feira à tarde (das 14h às 18h) e à noite (das 19h às 21h). Já as aulas de Arte Digital acontecem às quartas e aos sábados (das 14h às 18h nos dois dias e das 19h às 21h somente às quartas-feiras). Os cursos começam em 4 de março.

Serviço: Incubadora da Gibiteca

Local: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Centro, fone 3321-3250
Funcionamento: de terça-feira a sábado, das 9h às 12h e das 14h às 18h
Exposição de trabalhos: 1º andar, sala de cursos
 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar