Mostra Internacional de Cinema "Nossa Terra: Cultura e Alimentação"

Dia 15 - BRAVA GENTE ITALIANA
(Brasil, 2015, documentário, 82', livre)
Produzido por Carlos Moletta, o filme foi rodado em 2012 em Curitiba, São José dos Pinhais e Colombo, no Paraná, e em cidades do Rio Grande do Sul, mais precisamente em localidades das Serras Gaúchas. Seguiu ainda para Vêneto, na Itália, região que se apresenta forte na trilha sonora que acompanha o documentário, como a canção “Bisogna ricordarsi dei nostri bisnoni”, do músico gaúcho Valmor Marasca. Um filme delicado e repleto de memórias onde as tradições de família, as histórias à mesa, a produção do vinho, a boa comida e a alegria desse povo marcam presença e emocionam.
Direção de Sergio Sbragia
CCC livre
Seguido de debate com os convidados: Vander Valduga e Marcelo Empinotti


Dia 16 – CULTURA DE ENGENHO: PATRIMÔNIO E RESISTÊNCIA

(Brasil, 2017, documentário, 54')
Florianópolis, 2016, uma produção urbana de mandioca atravessa o asfalto da rodovia até um engenho de farinha. No litoral sul do estado, comunidades fazem uso coletivo da terra para produzir alimentos com fim material e simbólico. O que mantém vivas tais práticas? O filme retrata a condição patrimonial dos Engenhos de Farinha de Mandioca de Santa Catarina através de seus ilustres protagonistas. São agricultores, artesãos, cozinheiras, comedores que em seus depoimentos mesclam identidade cultural com sabor e sustento. Vamos da roça de mandioca aos sabores da farinha, degustando histórias de vida e resistência e exemplos reais de preservação que colocam o comer e o produzir alimentos como atos políticos e culturais muito atuais.
Direção: Sandra Alves
CCC livre
Seguido de debate com as convidadas: Lai Pereira e Sabrina Demozzi


Dia 17 - PETROLEUM É NOSSO: A EBULIÇÃO DA CERVEJA ARTESANAL NO BRASIL

(Brasil, 2017, documentário, 86')
Longa documental que mostra as comunidades de cervejeiros brasileiros e o renascimento do mercado de cervejas especiais no Brasil. O filme usa como fio condutor a história da Petroleum, uma cerveja que nasceu pelas mãos de cervejeiros caseiros de Curitiba, em panelas de alumínio, ganhou fama nos festivais e hoje é produzida em duas fábricas – na Gauden em Curitiba e pela Wäls de Belo Horizonte. Nas entrevistas, um panorama da trajetória dos fundadores de algumas das mais importantes cervejarias artesanais do país.
Direção: Luiz Felipe Araújo
CCC 14 anos
Seguido de debate com o(a) convidado(a): Luiz Felipe Araujo e Fernanda Lazzari


Dia 18 - ATUM, FAROFA & SPAGHETTI

(Brasil, 2017, documentário, 95')
Uma viagem gastronômica por três continentes. Estrelado por três chefs pernambucanos, a obra produzida pela Pop Filmes e dirigida pelo cineasta italiano Riccardo Rossi, é o registro da viagem de Joca Pontes, Duca Lapenda e André Saburó. Convidado para realizar um jantar no renomado restaurante Ze Kitchen Galerie, uma estrela Michelin, Joca não apenas aceita o desafio como também leva seus amigos para o que se tornou uma reflexão gastronômica.
Direção: Riccardo P. Rossi
CCC livre
Seguido de debate com o(a)s convidado(a)s: Riccardo P. Rossi,  Michele Dupont e Vavo Krieck


Dia 19 - CAFÉ E UM DEDO DE PROSA

(Brasil, 2017, animação, 72')
Esta animação se desenrola a partir do encontro dos amigos Vera Holtz e Wandi Doratiotto em uma cafeteria. Apaixonados pela bebida, eles travam um bate-papo informal e descontraído sobre a história do café. Acompanhando esse diálogo, o público vai descobrindo muitas curiosidades sobre a bebida mais popular do país, sua importância histórica e influência na economia, política e até na cultura brasileira. Baseado no livro “A História do Café”, de Ana Luiza Martins (Editora Contexto, 2008), o filme é resultado de seis anos de trabalho e chegou aos cinemas no ano passado, além de circular por diversos festivais e mostras de cinema do país.
Direção: Mauricio Squarisi
CCC 10 anos
Seguido de debate com os convidados: Maurício Squarisi e Claudino da Silva Dias
 

Dia 20 - I VILLANI
(Itália, 2018, documentário, 83', livre)
I Villani é uma expressão que indica a simplicidade e autenticidade dos camponeses e trabalhadores humildes, que produzem seus alimentos segundo práticas tradicionais. O filme acompanha a rotina de quatro trabalhadores, do nascer ao pôr do sol, do início ao fim de sua jornada de trabalho. Da hora em que acordam até o momento em que vão dormir, seus ofícios, suas famílias, prazeres e tristezas são analisados enquanto eles explicam a sensação de viver e falam sobre pesca e agricultura. A maior questão que permeia suas preocupações é quanto tempo eles possuem até que sejam substituídos pela automação. Segundo o New York Times, “um (e em alguns aspectos único) dos ativistas alimentares mais inventivos”, Daniele de Michele colabora com Geo e Geo (RAI3), La Effe, Fahreneith (Radio3). Faz curadoria para séries de televisão e publica livros sobre gastronomia e alimentação. Escreve regularmente para Repubblica, Corriere della Sera, Esquerda e colabora com Alias, Fooding.
Direção: Daniele de Michele
Seguido de debate com o(a) convidado(a):  Meg Mamede e Alex Barbosa, mediação de Thaisa Sade, Coordenadora da Cinemateca de Curitiba


Para mais informações acesse o site: http://www.micnossterra.com.br/

 

Ingresso: gratuito

Data(s): 15/10/2019 a 20/10/2019 - 3ª, 4ª, 5ª e 6ª feira, sábado e domingo

Horário(s): 19h (TER ~ SÁB) | 18h (DOM)

Público Dirigido: não

Classificação: Conferir na descrição do evento

Espaço Cultural:

Cinemateca de Curitiba

avise-me na véspera

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar