27.12.2010Virada e leitura nos parques: a nova cara da cultura curitibana em 2010

O ano de 2010 representou um marco na cultura de Curitiba. Foi o ano da primeira Virada Cultural da cidade, evento que mobilizou, por mais de 24 horas, cerca de 170 mil pessoas, gerando uma animação no centro da cidade há muito tempo não vista. Foi também o ano do Curitiba Lê, um programa inédito e estratégico que engloba ações efetivas para incentivar o hábito da leitura entre os curitibanos. Essas duas realizações foram a síntese do trabalho desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba este ano, tendo como metas a democratização e a descentralização da cultura.

A Virada aconteceu num fim de semana, no início de novembro, e fez parte de uma ação maior, a Corrente Cultural, movimento que, além da Fundação Cultural de Curitiba, reúne diversos parceiros em prol de um mesmo objetivo: valorizar a cultura da cidade. Durante 12 dias, a Corrente ofereceu mais de 350 espetáculos de todos os segmentos artísticos, em 70 espaços públicos e privados.

"A qualidade das atrações oferecidas, o envolvimento de várias instituições parceiras e o cuidado com a organização garantiram o sucesso do evento, muito elogiado pela própria população e destacado pela imprensa como um dos melhores momentos da cultura na cidade nos últimos anos", afirma o prefeito Luciano Ducci.

Nos palcos da Virada, grandes artistas. Na plateia, pessoas de diferentes idades, perfis e regiões desfrutando os espetáculos harmoniosamente. "O comportamento do público, que respeitou canteiros de flores das praças e jardins durante os shows, foi um dos destaques que correu o Brasil, resgatando aquele tradicional orgulho de ser curitibano", comemora o presidente da Fundação Cultural, Paulino Viapiana.

O programa Curitiba Lê começou com a recuperação de todas as bibliotecas da Fundação Cultural e sua transformação em Casas da Leitura, com destaque para a Casa da Leitura Paulo Leminski, na Cidade Industrial, reconstruída no terreno da antiga biblioteca segundo padrão que atende todos os propósitos do Curitiba Lê. A Estação da Leitura, no terminal do Pinheirinho, é outra novidade, assim como o Bondinho da Leitura e o Biblioparque, que fazem empréstimo gratuito de livros, sem qualquer burocracia.

Resultados - A Virada da Corrente Cultural e o Curitiba Lê mostraram que a cultura curitibana está mesmo de cara nova. Mas essas não foram ações isoladas. Elas representam alguns dos resultados do trabalho previsto para o setor cultural em 2010. Projetos aprovados e financiados pelo Fundo Municipal da Cultura, grandes eventos como a Oficina de Música, concertos dos grupos artísticos mantidos pela Fundação Cultural, Cinema nos Bairros, Música nos Parques - tudo teve um viés voltado a facilitar o acesso da população aos bens culturais.

Este ano houve a reformulação da Galeria Júlio Moreira, com a reabertura do Clube de Xadrez Erbo Stenzel e a inauguração do Espaço de Arte Urbana. Na região do centro histórico, a Casa Romário Martins passou por reformas e voltou a abrigar exposições voltadas à difusão do patrimônio cultural. Em convênio com o MinC, Curitiba completou a instalação de 30 Pontos de Cultura em diversos bairros da cidade.

Inúmeros outros projetos em todas as áreas - música, cinema, artes visuais, artes cênicas, literatura, patrimônio cultural - garantiram uma programação de qualidade em todos os espaços gerenciados pela Fundação Cultural. As parcerias com outros órgãos públicos, instituições e empresas foram fundamentais para que muitos desses projetos fossem concretizados.

Metas - As atividades promovidas pela Fundação Cultural de Curitiba atenderam 1,6 milhão de pessoas, superando em 34,63% a meta estabelecida no Contrato de Gestão. Mais uma vez a cidade aprovou. O índice de satisfação dos usuários com os serviços culturais ofertados ficou em 87,22%.

A descentralização das ações culturais e a inclusão social por meio da cultura foram o fio condutor de todas as iniciativas da gestão, mas essa é uma meta a ser perseguida, com a busca de um índice cada vez melhor, e que supere os 48% alcançados em 2010.

Preparando-se para assumir a Secretaria de Estado da Cultura a partir de 1º de janeiro, Paulino Viapiana comemora os resultados atingidos durante o período em que esteve à frente da Fundação Cultural de Curitiba. "Foram anos de desafios, planejamentos, reflexão e diálogo permanente em busca das soluções para a cidade, que refletiram na consolidação de importantes projetos que ajudaram a transformar o nosso cenário cultural. Agora começa um novo desafio, maior, de atender todo o estado. Esperamos conseguir resultados tão positivos quanto os apresentados aqui."

 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar