05.07.2011Trio curitibano faz show no centenário de Machu Picchu

O trio curitibano Mano a Mano, formado pelos músicos Sérgio Albach (clarinetes), Glauco Sölter (baixo) eVina Lacerda (percussão), é uma das atrações da comemoração do centenário de descobrimento de Machu Picchu, no Peru, neste mês de julho. Os instrumentistas mostram seu talento em show que tem apresentações às 19h30 desta quinta-feira (7), no Museu de Arte de Lima - Mali, e, no sábado (9), no mesmo horário, no Centro de Convenções de Cuzco.

As festividades preparadas pelo governo peruano têm por objetivo mostrar a união da cultura milenar do Peru com a modernidade, reunindo artistas de vários países num cenário que pertence ao mundo. Segundo Sérgio Albach, que também é coordenador de Música Popular da Fundação Cultural de Curitiba, o convite para a participação do Mano a Mano partiu da Embaixada Brasileira no Peru, depois que o trio se apresentou naquele país, no ano passado. O repertório preparado para o espetáculo conta com música instrumental brasileira e duas composições peruanas: El Tamalito e Toro Mata.

A presença do Trio Mano a Mano num evento internacional, ao lado de nomes conhecidos mundialmente, é mais um reconhecimento do trabalho desenvolvido pelos músicos. O trio executa composições de vários estilos, com arranjos personalizados numa formação desafiadora, deixando de lado os instrumentos harmônicos e utilizando o clarinete, o contrabaixo elétrico e a percussão. A intensa atuação do grupo revela uma estética diferenciada para ouvidos atentos, mesclando a moderna música instrumental brasileira com o choro tradicional, além de percorrer criações do jazz ao tango.

A previsão do governo peruano é que a celebração do centenário de Machu Picchu seja acompanhada por cerca de 500 milhões de telespectadores, no mundo todo. Patrimônio da Unesco e um dos pontos de turismo cultural mais visitados do Peru, Machu Picchu foi eleita uma das novas Sete Maravilhas do Mundo, em 2007. Acredita-se que a cidadela inca tenha sido construída na metade do século XV e somente foi descoberta em 1911, pelo antropólogo americano Hiram Bingham.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar