09.05.2013São Francisco pode se tornar Setor Especial de Produção Cultural

O bairro do São Francisco – região central e histórica de Curitiba, que nos últimos anos se tornou espaço de efervescência cultural e, ao mesmo tempo, passa por polêmicas devido à ocupação – receberá uma série de intervenções por parte da Prefeitura de Curitiba para garantir a ocupação harmoniosa entre moradores, comerciantes, artistas, produtores e frequentadores. Entre as propostas está a rediscussão do zoneamento, que tornaria a região um Setor Especial de Produção Cultural.

“Em julho formaremos uma comissão especial formada por integrantes do poder municipal, comerciantes, moradores e artistas para debater em conjunto mudanças no Plano Diretor da cidade, que será rediscutido a partir do próximo ano. Assim, garantiremos a indução do desenvolvimento cultural do São Francisco pelas próximas décadas”, disse o superintendente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Igor Cordeiro. O anúncio ocorreu durante uma reunião da Comissão de Urbanismo e Obras Públicas da Câmara Municipal, nesta quarta-feira (08) cuja pauta era o bairro São Francisco.

A reunião foi motivada por uma proposta de projeto de lei encaminhada à Câmara por moradores, empresários e artistas, que também defendem a criação de Setor Especial de Produção Cultural no bairro, mas por meio da Lei Orgânica do Município. “O projeto encaminhado reconhece que o São Francisco possui vocação legítima e histórica para a cultura, e que essa vocação pode e deve ser harmonizada com o direito dos moradores”, explicou Rodolfo Jaruga, advogado e poeta, um dos signatários do projeto. A proposta regulamentaria horários de funcionamento dos estabelecimentos, trânsito, criação de banheiros públicos e iluminação das ruas, por exemplo. 

Para o presidente da Comissão de Urbanismo e Obras Públicas, vereador Jonny Stica (PT), é necessário se chegar a um consenso entre moradores, artistas e comerciantes. “No caso do São Francisco, a regularização pode valorizar o espaço, dando vida ao bairro, evitando a bagunça e até mesmo a violência em alguns casos”, opinou.

Ação integrada – O superintendente da FCC disse que a iniciativa é muito bem vinda e vai de encontro com debates que já estão sendo feitos dentro da Prefeitura. Cordeiro revelou que diversas secretarias municipais (FCC, IPPUC, Urbanismo, Obras Públicas e Guarda Municipal) estiveram reunidas nesta semana para discutir problemas do São Francisco e já apresentarem algumas soluções. “É preciso regularizar o espaço para que a área não perca sua característica cultural e de protagonismo”, lembrou.

Entre as mudanças já previstas está a criação de galerias públicas para grafite e outras ações que previnam as pichações; um plano de melhoria da iluminação pública com foco nos pedestres; um serviço de inteligência coordenado por PM e Guarda Municipal para coibir crimes; e a criação de uma feira de produtos culturais na região, que acontecerá mensalmente e terá uma cota de barracas para os moradores.

“A cidade precisa se unir para chegar aos mesmos objetivos. É preciso coesão de ideias e participação permanente da sociedade para que todos estejam satisfeitos com as mudanças”, defendeu o superintende.

Autor: Assessoria de Imprensa/FCC

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar