20.01.2015“A Oficina sempre vale a pena!” - programação e valor dos ingressos agrada o público

Na noite desta segunda-feira (19), dois espetáculos da fase MPB da 33ª da Oficina de Música, empolgaram o público presente no Paiol e no Teatro da Reitoria. O Grupo Molungo se apresentou no Teatro do Paiol para lançar o álbum “Mais Agreste”, e com um ritmo contagiante, convocou a plateia a participar. Mais tarde, no Teatro da Reitoria, a Orquestra À Base de Cordas e sua convidada, Lívia Nestrovski, prestaram homenagem aos 100 anos de Dorival Caymmi. No programa, um apanhado das grandes obras do cantor baiano que envolveu o público.

João Alberto de Lara é arquiteto e acompanha o Molungo há 3 anos e aprecia a proposta da banda. “É um trabalho alternativo, criativo e que exalta as raízes africanas”. Percebe um apelo comercial nas músicas, mas continuam fiéis as origens. “Eles têm uma pegada gostosa e as letras são ótimas. Sempre tem uma mensagem”. Helena Martins é estudante, e assim como João, ressalta o resgate das influências africanas apresentadas nas músicas da banda. "Gosto de ouvi-los. Traz uma energia boa, diz Helena". Luís Piazzetta, um dos integrantes da banda, explica que, em busca de colocar um pouco mais de verdade no que tocavam, foram atrás das raízes. E as pesquisas foram permeadas pela cultura afro. “A gente descobriu um universo. Algo que não tem fim”.

E no palco da Reitoria, a carismática Lívia Nestrovski comandou o show ao lado da Orquestra À Base de Corda, capitaneada por João Egashira. A dupla fez a plateia soltar a voz na com Maracangalha e tantos outros clássicos do cantor. Iorge Soares achou perfeita a escolha de Dorival Caymmi, “me emocionei ouvindo Suíte dos Pescadores”. Diz ser importante investir em artistas contemporâneos que interpretam os grandes mestres da música. “Eles perpetuam o autor, e as obras também”, afirma. E aprova a promoção de atrações culturais por preços acessíveis, como é feito na Oficina. “Assisti um show maravilhoso por R$ 5,00”. Isso é fantástico”.

A mineira Clara De Lanna conhece a obra da Caymmi e se diz encantada com a voz da cantora. “A voz dela é muito linda e ela é cativante”. A estudante de música é oficinanda em diversos cursos nesta edição da oficina e elogia o evento, por proporcionar música de boa qualidade com profissionais gabaritados. "Estou adorando. Nunca vi nada parecido em Minas”, completa.
Jussara Graça de Lima, e a amiga Julia Araujo Silva, estavam embevecidas com a voz de Lívia Nestrovski e com o talento da orquestra. "Ela é maravilhosa! E os músicos? Dá vontade de levar para casa", brinca Jussara. Embalada pela voz da cantora, Julia diz ter esquecido do tempo assistindo ao show. “A voz dela é esplendorosa, deixa a alma e o coração leve". As amigas são frequentadoras da fase MPB da oficina há muitos anos e garantem que assistirão outras apresentações. “A oficina sempre vale a pena!”

 

Autor: Assessoria de Imprensa da FCC

Fonte: Fundacão Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar