15.05.2013Primeiro Portal do Futuro entrará em funcionamento em setembro

Um encontro reuniu hoje (15) diversas secretarias municipais que serão responsáveis pela implantação do Portal do Futuro, projeto que tem como finalidade interagir com a juventude curitibana, proporcionando atividades nas áreas de esporte, lazer, cultura e também oferecendo cursos para inserir o jovem no mercado de trabalho.

“O Portal do Futuro é um elemento fundamental do nosso Plano de Governo, que ofertará ações integradas e estruturantes para juventude, desde esporte e lazer até profissionalização, utilizando metodologias inovadoras e mudando a forma de atuação governamental, integrando diversas áreas de forma harmônica e funcional”, explica o presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli.

Além da FCC, a implantação do portal envolve a participação de outros órgãos municipais, como a Fundação de Ação Social, a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude, a Defesa Social e também a Agência Curitiba. “Essa interdisciplinaridade é o grande diferencial do projeto. Somente as instalações físicas não vão resolver os problemas da juventude. Há necessidade de se debater e criar políticas públicas voltadas à juventude”, explica o secretário de Esporte, Lazer e Juventude, Aluísio de Oliveira Dutra Júnior.

O primeiro centro deverá entrar em funcionamento no início de setembro, na Vila Audi/União. Lá será desenvolvido o projeto-piloto para conhecer as demandas da juventude, com a criação de um comitê gestor, no qual os jovens vão discutir como pretendem utilizar esse espaço público. A experiência obtida na Vila Audi/União servirá de base para a instalação das novas unidades do Portal do Futuro. Na sequência será a vez do Centro da Juventude Eucaliptos, no Boqueirão, passar por adequações, assim como o Clube da Gente e Centro de Esporte e Lazer, ambos no Bairro Novo.

O Portal trabalha com o conceito de criar um canal de diálogo com a juventude que realmente seja capaz de gerar comunicação e identificação do projeto com o público-alvo: jovens de 12 a 29 anos, com características e anseios diferentes. “Precisamos falar a língua do jovem para que eles possam nos entender. Não podemos achar simplesmente que a questão do jovem está ligada somente ao esporte, lazer e ao aspecto profissional. Há complexidade de ações. Existe o jovem negro, o jovem portador de deficiência, o jovem que mora na zona sul, que mora na zona norte, cada um com demandas diferentes”, explicou o secretário de Esporte, Lazer e Juventude, Aluísio de Oliveira Dutra Júnior.

Marcos Cordiolli adiantou que a FCC participará do projeto com suas ações tradicionais voltadas à juventude e criará um programa de economia criativa. “O objetivo é proporcionar meios capazes de impulsionar os participantes culturalmente e profissionalmente. É uma mudança nos paradigmas de políticas públicas para a juventude”, completou.

Autor: Assessoria de imprensa da FCC

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar