11.11.2019Personagens e lugares de Curitiba são tema de exposição na capital italiana

 Voltar é o título da instalação inspirada em Curitiba que a artista plástica Virginia Ryan exibe a partir do dia 17 de novembro, no Studio Poerio, em Roma. A mostra faz parte do projeto Histórias Contemporâneas e é simultânea à sua participação na 14º Bienal de Arte Contemporânea, na capital paranaense, cidade onde morou.

Amigo da artista, o prefeito Rafael Greca foi convidado a assinar o prefácio do catálogo da mostra, ao lado da fotógrafa Vilma Slomp e de Massimo Scaringella, um dos curadores da mostra curitibana. A exposição vai até 30 de novembro, sob a curadoria da crítica de arte Anna Cocchetti.

Virginia criou uma instalação que se utiliza de documentos, fotos antigas e atuais de personagens com quem conviveu em Curitiba (como o prefeito Rafael Greca e o ex-governador Jaime Lerner) e lugares da cidade (Largo da Ordem, Ópera de Arame e Sociedade Garibaldi), além de objetos pessoais.

“Nunca cessou o vínculo afetivo da artista plástica com Curitiba. Ele persiste tantos anos depois, a ponto dela lembrar em Roma da nossa cidade – a mais culta, mais limpa, mais ecológica e inovadora das capitais do Brasil. Alegria de vermos o grande nome de Curitiba lembrado em Roma, urbe mirabilis (cidade maravilhosa), nossa matriz cultural, a Cidade Eterna”, observou Greca.

Laços
A artista morou em Curitiba de 1988 a 1990, época em que seu marido, o diplomata italiano Giancarlo Izzo, assumiu o consulado-geral de seu país na cidade. “É uma homenagem ao presente e à memória”, declarou Virginia. Ela voltou a Curitiba em setembro, para a abertura da Bienal, cujo tema é Fronteiras em Aberto e guarda identidade com a proposta de Voltar. Seus trabalhos estão expostos na sala 11 do Museu Oscar Niemeyer.

Resultante da viagem de ida e volta pela memória e pela realidade, a obra enfoca aspectos sociais e artísticos num diálogo intercultural.Também presente na obra da artista exposta na Bienal de Curitiba, essa interculturalidade resulta da experiência de vida por diversos países, além do olhar aguçado com o trabalho social que continua realizando, por meio da arte, em países como Gana, na África.

Nascida em Canberra (Austrália) em 1956, Virginia Ryan vive e trabalha entre a Umbria (Itália) e Victoria (Austrália).

 

 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar