27.01.2020Músicos paranaenses são homenageados em concerto inusitado

A música e a emoção tomaram conta do Cemitério Municipal São Francisco de Paula neste sábado (25/1). O concerto na entrada principal homenageou a produção de músicos eruditos e populares sepultados no Municipal, como Benedito Nicolau dos Santos, Augusto Stresser, Nhô Belarmino e Nhã Gabriela, Ivo Rodriguez e Bento Mussurunga (autor dos Hinos de Curitiba e do Paraná).

A apresentação foi um dos 250 eventos da Oficina de Música 2020, que encerra neste domingo (26/1) após 12 dias de intensa programação pela cidade.

Na plateia, familiares dos músicos acompanharam o concerto executado pelo pianista Jeferson Ulbrich e pela Banda Lyra Curitibana.

Para a engenheira Beatriz Stresser, neta de Augusto Stresses (autor da Sidéria, primeira ópera paranaense), a experiência foi gratificante. “Saber que as pessoas estão retomando a memória do meu avô e de outros compositores paranaenses me deixa orgulhosa. É uma iniciativa importante que ajuda a manter a nossa história”, disse Beatriz.

Hino de Curitiba e outras produções

A Banda Lyra abriu o concerto com o Hino de Curitiba, de autoria de Bento Mussurunga, que também é compositor do Hino do Paraná. Em seguida, Jeferson Ulbrich executou as obras de Augusto Stresser e de Benedito Nicolau dos Santos.

Florista há 32 anos no Cemitério Municipal São Farncisco de Paula, Maria Ferreira da Silva ficou encantada. “Nunca, de jeito nenhum, eu vi algo assim. Muito bonito”, contou emocionada a florista.

O concerto aconteceu após a visita guiada pela pesquisadora e diretora de Serviços Especiais da Secretaria do Meio Ambiente, Clarissa Grassi, que apresentou aos participantes a trajetória dos músicos que estão sepultados no Municipal.

Para o pianista convidado, foi algo realmente inusitado. "Fiquei feliz com o convite, e entrar em contato com esses compositores, com essas obras e para um público tão diverso. Foi maravilhosa a iniciativa da Oficina de Música”, elogia o pianista.

Renato Antonio Nicolau dos Santos, neto de um dos artistas homenageados, também compareceu. “Muito importante, dignificante e que traz muita recordação do Benedito, como pai de família, avô e artista que contribuiu muito para a cultura do Paraná”.

O público também pode ouvir histórias e composições de Stellinha Egg, Antonio Melillo, Romualdo Suriani, Brasílio Itiberê, Nhô Belarmino e Nhá Gabriela e Ivo Rodrigues (vocalista do Blindagem, icônica banda curitibana).

A viúva de Ivo, Suka Rodrigues, não conteve a emoção. “É como se o Ivo estivesse aqui”.

Ela elogiou a iniciativa da Oficina de Música de Curitiba de misturar o erudito e o popular. “Nessa edição, eu vi muita gente, pessoas que conheço, participando, alcançando esse ritmo da Oficina. Achei muito bom e influenciando a cidade, todo mundo dentro do evento, todo mundo participando. Isso fez a diferença”, elogia Suka.

Parceria

A 37ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização da Prefeitura de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac), Ministério da Cidadania, da Secretaria Especial da Cultura e governo federal.O evento tem patrocínio máster da Caixa Econômica Federal, apoio cultural da Família Farinha, Comunidade Luterana Igreja de Cristo, Igreja Bom Jesus dos Perdões, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), Bicicletaria Cultural, Universidade Federal do Paraná, Lamusa – Laboratório de Música Sonologia e Áudio, Sistema FIEP, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC), HOG The One Curitiba, Solar do Rosário e apoio master do Teatro Guaíra e Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR).

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar