11.06.2020 Fundação Cultural de Curitiba e ICAC lamentam a morte do músico Cornelis Kool

É com tristeza que a Fundação Cultural de Curitiba e o Instituto Curitiba de Arte e Cultura comunicam a morte do músico e coralista da Camerata Antiqua de Curitiba, Cornelis Kool, na tarde desta quinta-feira (11).

O prefeito Rafael Greca, a presidente da Fundação Cultural, Ana Cristina de Castro, e o presidente do ICAC, Marino Galvão Júnior, lamentaram essa perda no cenário da música erudita, reconhecendo a importante contribuição de Cornelis Kool para o crescimento da Camerata Antiqua de Curitiba.

“Nesse momento triste, queremos manifestar nosso grande apreço por todos aqueles que fazem da nossa Camerata um dos mais importantes conjuntos de câmara do país. Cornelis foi um deles e por isso temos a agradecer o seu envolvimento e a sua dedicação. A cultura curitibana perde um excelente músico qua fará sempre parte da nossa história”, disse a presidente da Fundação Cultural, Ana Cristina de Castro.

"Sua dedicação e profissionalismo eram marcas de seu compromisso junto à Camerata Antiqua de Curitiba. O carinho desse grupo pela sua pessoa demonstra a singularidade e importância de seu trabalho", destacou o presidente do ICAC, Marino Júnior.

A notícia foi recebida com grande pesar pelos demais integrantes da Camerata e pelos seus colegas de trabalho da Capela Santa Maria – Espaço Cultural, onde exercia suas atividades.

“Cornelis foi nosso companheiro dos primórdios da Camerata Antiqua. Foi regente do Coro e cravista da Orquestra. Esteve conosco nos momentos mais tensos e também nas nossas maiores conquistas. E soube percorrer com muita elegância e firmeza esse caminho dentro da Camerata até hoje. A tristeza é imensa. Que Deus conforte a família nesse momento”, declarou o violinista Francisco Freitas.

Cornelis Kool formou-se em Piano e Órgão na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Ampliou seus estudos no Instituto de Música Sacra dos Países Baixos localizado em Utrecht, especializando-se em Regência Coral, Órgão, Piano e Canto. Desde 1990 era integrante da Camarata Antiqua de Curitiba, onde teve atuações como cantor, ensaiador, arquivista, pianista, organista e regente do Coro. Também em Curitiba dirigiu o Coral da Fraternidade da Igreja Presbiteriana de Curitiba bem como o Coral Harmonia.

 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar