20.09.2010Faixas de pedestres ganham pintura artística

Quem passeou por Curitiba no domingo à tarde pôde se surpreender com um artista pintando faixas de pedestres localizadas em 20 pontos da cidade. A ação "Arte na Faixa", projeto da Prefeitura Municipal, faz parte da Semana Nacional do Trânsito, coordenada pela Urbs, que começou na sexta-feira (17).

Para a realização das pinturas foram escolhidos locais de grande fluxo de pessoas em vários pontos da cidade e um sorteio definiu a esquina em que cada artista fez a intervenção. A pintura foi realizada apenas na primeira faixa, perto do meio-fio. Ao atravessar, o pedestre vê a imagem e a mensagem: "Agora que você reparou, atravesse na faixa."

"Trem na linha" é o título do trabalho que Ademir Paixão pintou na esquina das ruas Dr. Muricy e Kellers, na Praça Garibaldi. Acostumado com os traços no papel, Paixão achou um desafio trabalhar com materiais que não são de seu cotidiano. "A ideia inicial era uma, mas na hora não foi possível executar pela limitação do espaço", comenta. Ele escolheu o branco e preto para desenhar os elementos, como na linguagem do cartoon.

A aposentada Edite T. Silva, moradora do bairro Fazendinha, achou interessante o projeto. "Sempre atravesso na faixa, mas nem todo mundo faz isso e a pintura vai chamar a atenção das pessoas", diz. Ela destaca que costuma brigar com os motoristas quando param sobre a faixa. Acompanhada pela estudante Isabella L. Silva, Edite observou o trabalho do artista Paulo Auma, no cruzamento do calçadão da Rua XV com a Rua Dr. Muricy.

Auma gostou da experiência, principalmente a interação do público enquanto pintava. "As pessoas ficam curiosas, perguntam, querem saber o que você está fazendo e isto é muito legal", diz. Ele ficou com uma das maiores faixas para executar a sua obra "Híbrido", que mescla dois seres que não existem, numa referência à mistura de genes.

Curiosidade também foi o que atraiu o agente penitenciário José Magela, 50 anos. Ele acompanhou grande parte do trabalho do artista Nelson Hohmann, na esquina das Marechais Floriano e Deodoro. "A pintura vai chamar bastante a atenção, mas acho que a maioria não vai entender a mensagem e vai continuar atravessando fora da faixa", diz o agente. Ele acha que o pedestre desrespeita as normas de trânsito porque não há multa, como há para os motoristas.

Nelson Hohmann acha que a curiosidade acaba surtindo sim o efeito. "As pessoas vão ver o que está acontecendo e com isso atravessam na faixa." O artista, que pela primeira vez executa um trabalho fora do ateliê, usou a sobreposição de cores rosa, amarelo e azul para dar movimento a sua obra chamada "Setas."

A estudante de fotografia Luane Palhares, 19 anos, concorda que a ação vai ser positiva porque as pessoas são curiosas, o que também acha Tiago Henrique Mariquito, 23, que estuda design. "Nós saímos de casa especialmente para ver a realização das pinturas", diz Tiago.

Desrespeito - A artista Sandra Hiromoto estranhou o desrespeito de alguns motoristas que passaram pela Marechal Floriano, esquina com a Sete de Setembro, enquanto ela realizava seu trabalho. "Ouvi xingamentos de motoristas que gritavam que estávamos atrapalhando o trânsito, esperamos que ação sirva para educar também quem anda de carro", diz a artista. Por outro lado, ela ficou muito feliz com a participação de um grupo de skatistas que acompanhou a realização da pintura e pediu para que ela reproduzisse uma parte do trabalho nos seus skates. Com o tema "People like objects" ela executou uma obra que mescla elementos do cotidiano das pessoas.

Interação também foi o que aconteceu no cruzamento da Rua XV com a Barão do Rio Branco. Um grupo que acompanhava o trabalho da artista Sila Lima não se contentou em apenas observar e ajudou na execução da pintura.

Arte na Faixa - O trabalho de pinturas nas faixas é inédito na cidade e envolve arte e educação no trânsito, numa parceria entre a Urbs e a Fundação Cultural de Curitiba. As intervenções artísticas foram feitas por pintores, cartunistas, ilustradores e grafiteiros da cidade.

Mais do que chamar a atenção para a importância das faixas de pedestre, o Arte na Faixa busca contribuir para uma mudança de comportamento dos curitibanos quando o assunto é respeito às normas de trânsito. A ideia é fazer com que as faixas sejam notadas e passem a fazer parte do cotidiano de pedestres e motoristas.

Além da pintura, o projeto inclui ainda um hotsite (www.artenafaixa.com.br) que traz a exposição virtual das obras e também o endereço onde elas podem ser conferidas pessoalmente. Junto está sendo gravado um mini-documentário sobre a ação.

Confira os endereços onde estão as intervenções.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar