15.03.2017Exposição Luz, Ciência e Emoção atrai o olhar das crianças

Engenharia e Arte podem se misturar e despertar a sensibilidade? Quem for visitar a exposição Luz, Ciência e Emoção, aberta nesta terça-feira (14) no Museu de Arte Municipal (MuMa), entenderá que isso é possível.

A mostra coordenada pelo professor de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Paraná (UFPR), James Alexandre Baraniuk, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e a Secretaria Municipal da Educação, reúne 20 experimentos científicos que têm a luz como tema principal.

O público alvo são as crianças de 4 a 10 anos. Luzes, cores, formas e objetos se harmonizam e chamam a atenção num ambiente lúdico onde tudo pode ser tocado e visto bem de perto.

A exposição é interativa e essa novidade despertou a atenção dos gêmeos Gabriel Alborta Heemann e Mateus Alborta Heemann, de 8 anos. Eles se divertiram com o disco de cores. “O disco tem duas ou três cores, quando você gira bem rápido e ele faz uma outra cor, muito legal!” conta Gabriel. Mateus ficou fascinado. “Ele confunde, no final quando gira, ele engana o nosso olho”, diz Mateus.

A exposição também encanta os adultos. Um dos espaços chamou a atenção Tieco Sato Ono, 86 anos. Ela e o marido se divertiram no Espelho Mágico. “Você senta de um lado e a pessoa do outro, mas dá a impressão que você está no colo do outro, muito interessante. Na exposição, vi coisas que nunca imaginei”, diz.

O coordenador da exposição diz que a ideia é estimular a percepção de crianças e adultos. “Você poder olhar a beleza das coisas, do mundo que nos cerca e procurar a compreensão, que está além da proposta curricular. Mostrar a beleza dos experimentos, muitos tão simples e que estão ao nosso redor e não reparamos, é a proposta deste trabalho”, explica Baraniuk.

O professor acredita que quando a pessoa gosta do que faz, quando está motivada, a compreensão dos fenômenos fica mais fácil. “A história da ciência, da humanidade, dos fenômenos que nos envolvem são questões desafiadoras e motivadoras para o estudo e a pesquisa”, argumenta.

Interação

A concepção da designer e professora Maristela Ono é mágica, interativa, lúdica, dá à criança a oportunidade de observar, tocar os objetos, se emocionar. Maristela trabalhou os espaços com telas, móbiles, dobraduras, fitas e cordões coloridos como o Ambiente Luminescente. “A tinta reage com o efeito da luminescência com incidência da luz violeta”. diz a artista. Na mostra, há um conjunto de três telas que contam três lendas: a das Cataratas, das Araucárias e a Gralha Azul e a Lenda Como Surgiu a Noite. “É um incentivo à pesquisa e ao imaginário da criança”, esclarece.

Para o coordenador do MuMa, Rodrigo Ferreira Marques, a mostra vai atrair um público diferente: o infantil. “Vai criar, incentivar um novo público para o espaço do museu. Dá para as crianças se divertirem e guardarem na memória”, acredita.
Estiveram na abertura da exposição a diretora da Editora UFPR, Suzeti de Paula Bornato, a coordenadora de Artes Visuais da FCC, Marili Azim e o assessor da Diretoria de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural, Hugo Tavares.

Serviço:
Exposição Luz, Ciência e Emoção
Visitação até 18 de junho 2017
Horário: de terça-feira a domingo, das 10h às 19h. Até 18 de junho
Local: Museu de Arte Municipal – MuMa (Portão Cultural -
Avenida República Argentina, 3.430, em frente ao Terminal Portão)
Entrada Franca

 

Autor: Comunicação Social

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar