06.06.2018Espetáculo teatral 'Cantando Vírgulas' discute a solidão humana

Nesta quinta-feira, dia 7, a Inominável Companhia de Teatro apresenta pela primeira vez o espetáculo Cantando Vírgulas, no Cleon Jacques. A peça aborda perspectivas poéticas e a condição humana num contexto de isolamento e de ausência de amor e empatia, observando a solidão como peste contemporânea.

Nesta primeira temporada, as sessões ocorrem no Teatro Cleon Jacques sempre de quinta a sábado às 20h, com apresentações também às 9h nas sextas-feiras, além de bate-papos com o elenco aos domingos após o espetáculo.

Com texto de Ali Freyer e direção de Lilyan de Souza, a peça pode ser entendida como um convite para deixarmos de ser sozinhos. A partir das tragédias gregas e das relações e conflitos entre seus personagens, dos conceitos de amor n’O Banquete de Platão e de Albert Camus (A Peste) como referência, o grupo dá prosseguimento à pesquisa estética da Inominável, baseando-se nas poéticas do ator e da dramaturgia contemporânea.

Na encenação, uma orquestra. Todos afinam seus instrumentos. Quando se entra na sala, parece apenas um caos sem propósito. Depois tudo se acalma, e cada personagem, em seu
tempo, expressa sonoramente frases melódicas e finalmente percebemos a tessitura composta pela união de todos.

“Falamos através do silêncio, do não dito. Cantamos Vírgulas. E é justamente neste momento, numa vírgula do tempo, no recorte tão sutil do instante é que tudo acontece. Tomamos a decisão. Decidimos deixar a segurança da solidão. Decidimos recomeçar, juntos”, diz Lilyan.

Serviço:
Espetáculo teatral Cantando Vírgulas discute a solidão humana

Data: De quinta-feira, 7 de junho a 1º de julho
Horário: quintas-feiras às 20h | sextas-feiras às 9h e às 20h | sábados às 20h | domingos às 19h
Local: Teatro Cleon Jacques
Endereço: Rua Mateus Leme, 4700 – São Lourenço, Curitiba
Entrada franca
 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar