15.04.2020Conheça dois poetas homenageados pelas Casas da Leitura

 
Das 16 personalidades que dão nome às Casas da Leitura – as bibliotecas públicas da Fundação Cultural com estantes formadas exclusivamente por obras literárias e de arte – 12 se dedicaram às letras. Entre eles estão os poetas curitibanos Laura Santos e Marcos Prado.

Eles nomeiam as unidades situadas respectivamente no Tatuquara e no Alto Boqueirão – como as demais, temporariamente fechadas por causa do distanciamento social contra o coronavírus. Mesmo assim, os mediadores de leitura que normalmente atendem o público continuam trabalhando, de casa, para que cada leitor tenha a possibilidade de conhecer o trabalhos dos dois autores por meio de algumas dicas.

Pérola Negra

Poeta do amor e do desejo, Laura Santos nasceu em 1919 e morreu em 1981. Conhecida como Pérola Negra por causa do tom da sua pele e amiga da também poeta Helena Kolody, ela começou a escrever por volta dos 13 anos. Vinte anos depois, tinha três livros prontos: Sangue Tropical, Poemas da Noite e Desejo.

Sua obra foi resgatada em 1959, na antologia Um Século de Poesia. A publicação foi organizada pelo Centro Feminino Paranaense de Cultura.

“A autora também teve poemas publicados nos diários Jornal da Tarde e na Gazeta do Povo”, conta a mediadora Alana Saiss Albinati, da Casa da Leitura Laura Santos.

Produção intensa

Com apenas 35 anos, Marcos Prado morreu no final de 1996.

“Considerado um dos mais importante nomes da poesia marginal do Paraná, seu trabalho pode ser encontrado em títulos como O Livro de Poesias de Marcos Prado, O Livro dos Contrários e Ultralyrics, que reúne parte de sua produção poética”, conta a mediadora de leitura da Casa da Leitura que homenageia o autor, Tatiane Phauloz.

Organizada em 2006 pelo diretor teatral Felipe Hirsch, a obra reúne poemas e – fruto do Marcos Prado compositor – letras para músicas. Nas mãos do diretor Rafael Lopes, em 2011 Ultralyrics dá nome ao documentário que conta sobre a vida e a obra do poeta.

Os poemas poemas/letras de Marcos Prado – que também foi tradutor e atuou no teatro e no jornalismo – foram gravados pelo grupo Beijo AA Força. Eles podem ser encontrados nos discos O que me quer o Brasil que me persegue (1987), Música ligeira nos países baixos (1993) e Sem suingue (1996).

 

Para conhecer melhor os autores

Sobre Laura Santos

ROCHA, Claudecir de O. Laura Santos e a Arte do Incontrolável Desejo: http://www.bpp.pr.gov.br/Candido/Pagina/Laura-Santos-e-arte-do-incontrolavel-desejo

MIRANDA, Tonicato. Laura Santos: a pérola negra do Paraná: https://charlesmallarme.wordpress.com/2008/11/22/laura-santos-a-perola-negra-do-parana

SAMYN, Henrique Marques. Por uma releitura de Laura Santos: https://letraspretas.com/2018/05/08/por-uma-releitura-de-laura-santos/https://letraspretas.com/2018/05/08/por-uma-releitura-de-laura-santos/

 

Sobre Marcos Prado

Álbum Aquelas Canções do Marcos da banda Beijo AA Força: https://www.youtube.com/watch?v=X0eqhETRsG8

Documentário Ultralyrics de Rafael Lopes: https://www.youtube.com/watch?v=sdt1cV0J9Kk

Poemas publicados no Jornal Cândido Biblioteca Pública do Paraná: http://www.bpp.pr.gov.br/Candido/Pagina/Poemas-Marcos-Prado

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar