23.02.2020Com idosos na bateria, Rancho das Flores emociona público da Marechal

Com muita vitalidade, os foliões do Rancho das Flores entraram na Marechal Deodoro para comemorar seus 30 anos de história. O desfile do bloco, formado por aproximadamente 400 foliões com mais de 60 anos, foi logo depois da entrada do Afoxé 2020 Omo Ìre Àjo, tradicionalmente responsável pelo rito de “purificação” da passarela do samba, e do grupo Unidos de Judá.

O Rancho das Flores trouxe este ano mais integrantes e duas novidades: a participação de pessoas em situação de rua que são atendidas em unidades da Fundação de Ação Social (FAS) e uma bateria formada por idosos que participaram de oficina de percussão oferecida pela Fundação Cultural.

Um dos momentos mais emocionantes do desfile foi a homenagem que os foliões fizeram aos idosos pioneiros do bloco. Há mais de 20 anos desfilando no Rancho, Vanda Bondan, 81 anos, brilhou na avenida como porta-bandeira. Com uma vitalidade invejável para qualquer folião, ela atravessou a Marechal Deodoro esbanjando alegria.

Ela viveu um sentimento de emoção e nostalgia, pois este foi seu último desfile no Rancho das Flores. Vanda, que vive no bairro Fazendinha, está se preparando para morar em outra cidade, junto com a filha.

“Estou muito emocionada. O carinho que recebi nesses anos é algo fora de série. Vou levar muita saudade. Desejo que o bloco continue e evolua cada vez mais”, declarou Vanda.

O mestre-sala também é um dos mais antigos foliões do Rancho das Flores. Manoel do Nascimento conta que participa do desfile desde as primeiras apresentações. “O bloco foi crescendo e melhorando cada vez mais”, observa. Representante comercial de 79 anos, ele conta que já desfilou no Carnaval de São Paulo e é maratonista. Acompanhar o Rancho foi para este morador da Vila Hauer “pura diversão”.

Quem entra no Rancho das Flores uma vez, não sai mais. Quem garante é também a aposentada Maria Vicentina Kobayashi, 66 anos, que saiu no bloco pela primeira vez no ano passado e este ano, apesar de estar em outra cidade (Osasco – SP), voltou só para o desfile. “É muito bom e o grupo é fantástico, aqui fiz muitas amizades”, disse.

Marchinha

Este ano, o Rancho das Flores contou com 360 pessoas que participam de atividades de convivência, seis pessoas atendidas nos Centros de Referência Especializados para a População em Situação de Rua (Centros Pop) – serviços oferecidos pela FAS – e 32 pioneiros do bloco.

Ao som da marchinha “Rancho das Flores, 30 anos de Paixão Futura e Saudade”, os idosos cantaram e dançaram durante todo o trecho destinado para o desfile, entre a Travessa da Lapa e a Avenida Marechal Floriano Peixoto.

A marcha foi composta por foi composta por Luís Ferreira, Roberto Prado, Sérgio Viralobos, Walmor Góes e Thadeu Wojciechowski, uma homenagem às três décadas do bloco.

Para a diretora de Proteção Social Básica da FAS, Cintia Aumann, o Rancho das Flores reforça e valoriza a cultura popular com a participação ativa das pessoas idosas. “A participação dessas pessoas no grupo amplia as trocas culturais e de vivências, incentiva a socialização e a convivência comunitária e contribui para o envelhecimento saudável, ativo e autônomo”, destacou Cintia.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar