09.08.2010Cinemateca oferece várias atrações

A Cinemateca de Curitiba elaborou uma programação que proporciona várias atrações aos cinéfilos. Nesta segunda-feira (9), às 19h30, com entrada franca, acontece o lançamento do vídeodocumentário “Instalações Rituais”, de Gesline Giovana Braga, abordando altares de benzedeiras como instalações de arte contemporânea. Até quinta-feira (12), sempre às 15h45, exibição do filme “Bitols”, primeiro longa-metragem do Colectivo Cinema8ito, núcleo de cinema independente gaúcho. Os ingressos custam R$ 5 e R$ 2,50.

Outro destaque, com sessões gratuitas na terça e na quarta (10 e 11), é a Coleção Filme Cultura, projeto de preservação da revista “Filme Cultura” que resultou da parceria firmada entre a Fundação Cultural de Curitiba, a Petrobrás e o Centro Técnico Audiovisual (CTAv) do Ministério da Cultura (MinC). Todas as edições históricas, publicadas entre 1966 e 1988, foram reunidas numa coleção de cinco livros, reproduzidas exatamente como as originais, somando quase quatro mil páginas. Neste encontro também será lançada a edição de número 51 da revista, que voltou a circular em 2010, com periodicidade trimestral.

Na terça-feira (10), às 19h, a jornalista e cineasta Joana Nin apresenta o projeto de preservação, seguido pelo debate “A Volta da Revista Filme Cultura e a Coleção Histórica”, comandado por Daniel Caetano, cineasta, professor e crítico de cinema. Na quarta-feira (11), às 18h30, sessão com curtas-metragens de música do Centro Técnico Audiovisual (CTAv). No mesmo dia, às 20h, projeção do filme “Limite” (1931), do diretor Mário Peixoto (1908-1992). Provocando muita polêmica em suas primeiras projeções, a produção acabou virando um mito, já que não foi exibida por muitos anos. Recuperado nos anos 70, “Limite”, que tem como tema a passagem do tempo e a condição humana, tornou-se uma marca na história cultural do Brasil.

Confira a programação da Coleção Filme Cultura, com entrada franca:

Dia 10 (terça-feira):

às 19h – Apresentação do projeto de preservação da revista FILME CULTURA, por Joana Nin;

às 19h30 – Debate “A Volta da Revista Filme Cultura e a Coleção Histórica”, com Daniel Caetano

Dia 11 (quarta-feira):

às 18h30 – Sessão com curtas-metragens de música do CTAv. Classificação livre para o programa:

O tempo e o som (BR, 1970 -12’ - dvd), de Bruno Barreto e Walter Lima Jr. A Bossa Nova através de seus principais compositores: Tom Jobim, João Gilberto, Johnny Alf, Carlos Lira, Menescal, Boscoli, Baden Powell, Vinicius de Moraes, Caetano Veloso e Gilberto Gil.

Partido Alto (BR, 1982 - 22’ - dvd), de Leon Hirszman. Com raízes na batucada baiana, o partido alto sofre variações porque, ao contrário do samba comprometido com o espetáculo, é uma forma livre de expressão e comunicação imediata, com versos simples e improvisados, de acordo com a inspiração de cada um. Partido Alto é uma forma de comunhão, reunindo sambistas em qualquer lugar e hora pelo simples prazer de se divertir.

Chorinho e Chorões (BR, 1974 -11’ - dvd), de Antonio Carlos da Fontoura. O Chorinho, música chorosa e sentimental, surgiu no final do século XIX e tem sua origem ligada ao músico Joaquim Antônio da Silva Calado. Gênero cujo repertório derivou da polca, tem como instrumentos característicos a flauta e o bandolim. Os mais conhecidos chorões foram Pixinguinha, Benedito Lacerda, Patápio Silva e Altamiro Carrilho, na flauta; Luperce Miranda e Jacob Bittencourt, no bandolim.

Heitor dos Prazares (BR, 1965 - 13’ - dvd), de Antonio Carlos da Fontoura. Memórias do sambista popular e pintor naif Heitor dos Prazeres em seu ateliê na Cidade Nova, bairro decadente do Rio de Janeiro, que só sobrevivia em seus sambas, seus quadros e suas recordações.

Álbum de Música (BR, 1974 -10’ - dvd), de Sérgio Sanz. Música de Pixinguinha, Almirante, Ismael Silva, Nelson Cavaquinho e Cartola. Gilberto Gil e Macalé comentam o filme. Depoimento de Nara Leão e Nelson Motta sobre a Música Popular Brasileira.

às 20h – Limite (BR, 1931 – 120’ – dvd), com direção de Mário Peixoto. O elenco reúne Iolanda Bernardes, Edgar Brasil, Olga Breno e Brutus Pedreira. Um homem e duas mulheres estão confinados em um barco em meio à imensidão do oceano. Eles contam como chegaram até ali, logo após uma intensa tempestade tê-los isolado do mundo.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar