22.10.2012Cinema e filosofia na Cinemateca

O Ciclo de cinema e filosofia,que acontece na Cinemateca de Curitiba, dias 23, 24 e 25 de outubro é uma parceira com a Associação Nacional dos Docentes de Filosofia (ANPOF). Com entrada gratuita,está inserido na proposta de “desacademizar” a filosofia. O evento faz parte do XV Encontro Nacional da ANPOF, que está na sua primeira edição curitibana.

Cenas do filme “Metrópolis”, de Fritz Lang, um clássico da ficção científica, serviram de base para o professor italiano radicado no Brasil, Massimo Canevacci, preparar o discurso que abre o cicloàs 20h. Doutor pela Università degli Studi di Roma La Sapienza (1973), o professor tem estudos sobre antropologia, filosofia e cinema. Suas reflexões são atuais e envolvem estudos sobre a cidade deSão Paulo eas novas mídias. Canevacci é autor de “Culturas Extremas: MutaçõesJuvenis nos Corpos das Metrópoles”e“Antropologia do Cinema”.

Para quem gosta do filme “O Eclipse”, de Antonioni, na quarta-feira (24),às 19h, a presença de Marcio Sattin, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo,Escola da Cidade, em São Paulo, um profundo interessadonas relações entrecinema e filosofia, deve provocar boas discussões. Sattin é ligado a estudos envolvendo Kant, Wittgenstein e a fenomenologia. Ociclotermina com a exibiçãode“Dias de Nietzsche em Turim”,com a presença do diretor do filme Júlio Bressane, representante do cinema marginal, e da roteirista Rosa Dias, sua esposa, doutora emfilosofia pela UFRJ (1993), atualmente professora de Filosofia pela UERJ.

Minicurso sobre Godard - Também acontece nos dias 24 e 25 de outubro, das 10h ao meio-dia, um minicurso de Filosofia e Cinema que parte da obra do cineasta Jean-Luc Godard, particularmente do filme “Nouvelle Vague”. O minicurso será ministrado pelo professor da Universidade Federal Fluminense e doutor em Filosofia Jorge Vasconcellos, que trabalha com filosofia francesa contemporânea e ministra disciplinas envolvendo a sétima arte, além deter escritos sobre filosofia do cinema.Vasconcellos é autor de“Deleuze e o Cinema: Filosofia e Teoria do Cinema”. Embora o alvo principal sejam os professores de filosofia doensino médio e seus alunos, o ciclo está aberto para outros públicos. A capacidade é para cem pessoas.

Serão analisadas cenas de filmes de Godard que deixam claro dois movimentos. O primeiro: a recusa de Godard, em suas práticas artísticas cinematográficas, em pensar o cinema como linguagem. O segundo: como a obra de Godard o coloca na posição de cineasta que teria provocado a passagem do cinema moderno para a contemporaneidade cinematográfica. A intenção, dizem os organizadores, é mostrar que Jean-Luc Godard foi o primeiro cineasta contemporâneo a questionar as fronteiras entre o cinema, video, pintura/artes visuais e performance.

 

Serviço:

CICLO DE CINEMA E FILOSOFIA

 

Dia 23

20h:

Conversa sobre o filme Metrópolis (Alemanha,1927)

Direção: Fritz Lang

Palestra com Massimo Canevacci.

 

Dia 24

19h:

Conversa sobre o filme O Eclipse (Itália/França, 1962).

Direção: Michelangelo Antonioni Palestra com Marcio Sattin.

 

Dia 25:

19h

Exibição do filme Dias de Nietzsche em Turim (BR, 2001 – 85’ - 35mm).

Direção: Júlio Bressane.

Palestra com Júlio Bressane após a sessão do filme

 

Dias 24 e 25

10h ao meio-dia

Minicurso sobre Godard – Exibição de cenas de filmes do diretor Palestra com Jorge Vasconcellos

Local: Cinemateca de Curitiba

Ingresso: gratuito

 

 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar