19.02.2020Aulas de Samba levam alegria para os curitibinhas

 Música, alegria e um jeito divertido de aprender mais sobre o samba como expressão genuína da cultura brasileira. Este foi o clima na manhã desta segunda-feira (17/2), na Rua da Cidadania do Tatuquara.

O projeto Iniciação ao Samba – Uma Viagem Através do Samba, da Secretaria Municipal de Educação, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), usou músicas consagradas de grandes mestres do samba para explicar aos curitibinhas um pouco sobre o ritmo que é considerado a alma do Brasil.

As Aulas de Samba estão acontecendo nas dez Administrações Regionais da Prefeitura. O objetivo é envolver na atividade os estudantes da rede municipal de ensino e crianças e adolescentes que frequentam os projetos sociais da Fundação de Ação Social (FAS) nos bairros de Curitiba.

O programa Linhas do Conhecimento trouxe até a Rua da Cidadania cerca de 300 crianças das escolas municipais Margarida Orso Dalagassa, Newton Borges dos Reis, Santa Ana Mestra e Darcy Ribeiro.

Brincadeiras e história
Primeiro, os pequenos se divertiram com a brincadeiras do ator Douglas Perez, o Curitibinha. Depois foi a vez dos também atores do Grupo Delírio Cia de Teatro, Léo Campos e Taciani Vieira, caracterizados como o Senhor e a Senhora Samba, iniciarem a Aula de Samba, acompanhados por músicos do Conservatório de Música Popular Brasileira, composto por voz, violão, cavaquinho, caixa, surdo e trompete.

Eles contaram, por exemplo, que o primeiro samba gravado no Brasil foi Pelo Telefone, em 1916, de autoria de Mestre Donga e Mauro de Almeida.

Para a professora Camile Laufer, da Escola Municipal Santa Ana Mestra, é muito importante levar esta oportunidade para as crianças na comunidade onde vivem.

“Na escola o currículo é apertado e não dá para abordar estes temas. Tem aluno que falou para a gente que nunca viu o Carnaval, então é muito bacana esta iniciativa de trazer esta programação até as crianças”, disse.

Viagem no tempo melódica
A viagem no tempo ao som batuque prosseguiu com outros mestres do gênero, como As Rosas não Falam (Cartola), Carinhoso (Pixinguinha), Jura, Sinhô (Chiquinha Gonzaga), Trem das Onze (Adoniran Barbosa), Aquarela do Brasil (Ary Barroso), Eu Sou o Samba (Zé Keti).

Também tiveram lugar no Panteão do Samba músicos do calibre de Heitor dos Prazeres, Noel Rosa, Lamartine Babo, Paulinho da Viola, Martinho Vila e outros.

Majestade no samba
As crianças ficaram muito empolgadas, principalmente com a festa no final, em que todos puderam dançar e se divertir, contando com a presença do cortejo real do Carnaval de Curitiba, o rei Momo, Felipe Júnior Oliveira de Souza Frausino, a rainha Jéssica de Almeida Barbosa e as princesas Joyce Kelly Alves Ramiro dos Santos e Edna dos Santos Souza.

O menino Davi Ferreira, 9 anos, da EM Santa Ana Mestra, se preparou para o evento. Ele veio fantasiado de vampiro. “Foi o meu tio que fez”, disse, com o rosto pintado e dentadura com presas para parecer assustador. A parte que ele mais gostou foi do final em que se divertiu com colegas, dançando e fazendo guerra de confete.

Participaram também do evento a Banda Lyra Curitibana, o administrador regional Jadir Silva, a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina Castro, o diretor artístico da Fundação Cultural, Édson Bueno e outros.

As Aulas de Samba continuam nas Ruas de Cidadania. Veja a programação:

Dia 18 – Boa Vista (10h30) e Matriz (15h)
Dia 19 – Portão (10h30) e Santa Felicidade (15h)
Dia 20 – Boqueirão (10h30) e Cajuru (15h)
Dia 21 – Pinheirinho (10h30) e Bairro Novo (15h)

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: SMCS

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar