Fundação Cultural de Curitiba

Fundação Cultural de Curitiba

Galeria

Visualizar: Coleções Álbuns

III SEMANA DE CANTO CORAL HENRIQUE DE CURITIBA / Abertura - Foto: Cido Marques© 2018

CONCERTO DE ABERTURA DOS COROS ADULTOS Coro da Camerata Antiqua de Curitiba Regência Mara Campos Nosso Canto Regional Cajuru e Tatuquara Regência Maico Sant’Anna Illvminata Direção Musical Daniele Oliveira MusicaR Regional Bairro Novo e Boqueirão Regência Professores do MusicaR Ottava Bassa Regência Alexandre Mousquer Vocal Brasileirão Regência Vicente Ribeiro Harmonia que entra pelo ouvido e toca o coração. Nossa cidade é “toda ouvidos” ao som de vozes do Coro da Camerata Antíqua nesta 3ª edição da Semana de Canto Coral Henrique de Curitiba, que acontece entre os dias 19 a 24 de junho, na Capela Santa Maria. Em homenagem ao maestro Villani-Côrtes, que ocupa a cadeira de número 11 da Academia Brasileira de Música, coristas e músicos curitibanos vão nos brindar com o que há de melhor para ouvir. São 40 coros convidados para levar a todos os curitibanos a música erudita, popular, sacra, étnica e o som dos coros universitários, infantis, com apresentações abertas nas tardes e noites do fim de semana do evento. A arte une as pessoas pela sensibilidade, pelo sentimento. Emociona, ao mesmo tempo que educa. Nesses dias deste evento especial, a música será a vertente de união e de aprendizado em oficinas e apresentações para aqueles que pelo dom da voz ou pela habilidade com instrumentos transformam encontros em momentos únicos em qualidade. Homenageado nesta 3ª Semana de Canto Coral Henrique de Curitiba, o maestro Edmundo Villani-Côrtes, mineiro de Juiz de Fora, entra para a história da nossa cidade pelo caminho da música. Professor, compositor e arranjador, o bacharel em Direito que escolheu o caminho da arte desde a tenra infância terá no nosso Coro da Camerata Antíqua a ferramenta para fazer deste evento um momento inesquecível. Curitiba é toda ouvidos. Que venha a sublime harmonia da Música. Rafael Greca de Macedo Prefeito de Curitiba É com grande alegria que a Fundação Cultural de Curitiba abre a 3ª Semana de Canto Coral Henrique de Curitiba, homenageando o grande compositor mineiro de Juiz de Fora Edmundo Villani-Côrtes, no período de 19 a 24 de junho de 2018. Justa homenagem ao compositor Edmundo Villani-Côrtes reconhecido pelo público e pela crítica na sua excelente trajetória na arte musical que caminha do erudito ao popular na concepção de obras corais e instrumentais. O nosso competente Coro da Camerata Antiqua de Curitiba com a direção artística de Mara Campos realiza a semana com muita propriedade, entusiasmo e dedicação. Serão seis dias de muita música com 40 coros convidados, com realização de concertos, palestra e oficinas de técnica vocal, regência e didática, expressão e preparação corporal a serem compartilhadas pelo conto coral. Destacamos a participação dos Corais das Regionais da Prefeitura de Curitiba, onde a Fundação Cultural de Curitiba, por meio do Programa MusicaR, possibilita o acesso da comunidade à formação e fruição cultural, bem como de uma política cultural descentralizada e democrática. O canto coral não se limita somente a interpretação de um repertório elaborado para o coro, mais também trabalha a autoestima, a socialização, o trabalho conjunto e possibilita ampliar seus conhecimentos culturais. Quando se canta em grupo, aprende-se “harmonia”, não só harmonia musical, mais também a harmonia entre as pessoas. E que a arte do Canto Coral harmonize a todos! Ana Cristina de Castro Presidente da Fundação Cultural de Curitiba “Cantador não escolhe o seu cantar Canta o mundo que vê...” Na bela canção de Dori Caymmi e Nelson Motta, encontramos uma das mais expressivas definições que norteiam e desafiam àqueles que cantam. Em nossos dias, cantar é mais do que preciso. É essencial. E cantar junto é experiência compartilhada e transformadora, opção de milhares de milhões de pessoas no planeta. Não é à toa a existência de tão diversas e inúmeras práticas de canto coral na atualidade. Os benefícios que promove são muitos e abrangentes, pois é atividade artística agregadora, acessível, como nas palavras de Milton Nascimento: “qualquer maneira me vale cantar...” O Coro da Camerata Antiqua de Curitiba renova seu compromisso com o Canto Coral ao receber as centenas de vozes multiplicadas que ressoarão na Capela Santa Maria, e por toda Curitiba, nesta III Semana De Canto Coral dedicada desde sua primeira edição ao compositor, mestre e amigo Henrique Morozowicz, nosso saudoso Henrique de Curitiba. Ao dar vida a seus repertórios, os 40 Coros convidados, de variadas modalidades e performances, apresentarão nesta edição da III SCCHC um generoso espectro de estilos, períodos e estéticas na interpretação e divulgação da música coral. Tão significativa quanto a interlocução entre os grupos corais fortalecidos no diálogo com o público, será a realização de Oficinas destinadas a coralistas, regentes, estudantes e profissionais da área coral e educação musical. Sob a orientação de Lúcia Passos, Dulce Primo, Melina Sanchez e Mara Campos, ocorrerão encontros, aulas e ensaios voltados para a construção e nutrição das referências fundamentais à sustentação da atividade de canto coral como ação artística consciente e plena. Com um olhar atento à renovação e divulgação do repertório coral brasileiro, é com enorme alegria que receberemos o compositor Edmundo Villani-Côrtes, reconhecido pelo público, pela crítica e por sua generosidade musical como um dos grandes expoentes da música brasileira do século XX. Villani nos presenteará com a palestra “Conversando sobre Música Coral”. Musicistas ou não, motivados e reunidos pelo acaso ou pelas mais diferentes oportunidades e escolhas, aqueles que se dedicam à prática e à representatividade do Canto Coral se alinham à própria trajetória histórica, social e cultural do ser humano. Cantam o mundo... Agradecemos a todos os Coros participantes da III Semana de Canto Coral Henrique de Curitiba, bem como aos professores, compositores e ao público, pela rica convivência que esta semana certamente nos proporcionará. Mara Campos Diretora Artística da III Semana Canto Coral Henrique de Curitiba HENRIQUE DE CURITIBA (Paraná, 1934-2008) Compositor descendente de poloneses, conhecido como Henrique de Curitiba. Graduou-se em 1953, na Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Aperfeiçoou-se em piano com Henry Jolles e em composição com H.J. Koellreuter na Escola Livre de Música de São Paulo. Em 1960, na Polônia, cursou interpretação pianística com Margherita Trombini-Kazuro na Escola Superior de Música de Varsóvia. Fez mestrado em Composição Musical nos Estados Unidos, onde estudou com o compositor Karel Husa. Possuidor de numerosa obra como compositor neoclássico e tendo mais de 150 composições no gênero instrumental, vocal e de câmara, destacase como um dos principais compositores brasileiros de sua geração. Entre suas obras de maior destaque estão, “Evocação das Montanhas”, gravada por Milton Nascimento; “Serenata Noturna”, com a Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba; “Missa Breve”, com o Coro de Câmara da UFG; “Já Vem Primavera”, madrigal gravado pelo coral da Universidade de São Francisco, na Califórnia, USA, entre outras. Além de obras editadas no Brasil e no Exterior. EDMUNDO VILLANI-CÔRTES (Minas Gerais, 1930) - Compositor homenageado. Edmundo Villani-Côrtes é pianista, maestro, arranjador e compositor brasileiro. Iniciou sua carreira profissional como pianista da Orquestra Tamoio, do maestro Cipó no Rio de Janeiro e da Orquestra de Luís Arruda Paes. Estudou composição com Camargo Guarnieri e H. J. Koellreutter. Na década de 1960, trabalhou em gravadoras e em emissoras de TV, chegando a escrever mais de 600 arranjos para as orquestras da TV Tupi e TV Globo. Como pianista, acompanhou a cantora Maysa e o cantor Altemar Dutra em excursões ao exterior. Em 1968, fez arranjos e composições para o filme “O matador”, de Amaro César e Egídio Ézio. Nos anos 1970, trabalhou como arranjador na TV Tupi de São Paulo, realizando mais de mil orquestrações para músicas de vários gêneros. Em 1978, venceu o Concurso Noneto de Munique, na Alemanha. Em 1986, obteve o 1º lugar no Concurso de Composição da Editora Cultura Musical, com a peça para violão “Choro pretensioso”. Em 1990 e 1991, foi regente da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. Villani-Côrtes recebeu dois prêmios APCA, o primeiro em 1990, TEMPORADA 2018 6 com a peça vocal “Ciclo Cecília Meirelles”, e o segundo em 1995, com a melhor peça coral sinfônica “Postais paulistanos”. Suas composições incluem várias obras de música orquestral, de câmara, instrumental e vocal, além de música eletroacústica. Algumas de suas obras podem ser ouvidas nos CDs: “Música brasileira para canto e piano” (1996, Rio Arte) e “Estados d’ Alma” (1997, Sony). Villani-Côrtes lecionou na Academia Paulista de Música; Instituto de Artes da UNESP, e Festival de Inverno de Campos do Jordão. Em 1981, foi vencedor da Feira Livre de MPB, patrocinada pela TV Cultura, e escolhido como regente, arranjador, autor e compositor para representar o Brasil no México, no 10º Festival da OTI. Em 1986, foi vencedor do concurso de composição patrocinado pela Editora Cultura Musical, tendo obtido o 1º lugar com a peça para violão “Choro Pretensioso”, e 2º lugar com a peça para piano “Ritmata nº 1”. Entre 1988 e 1991 atuou como pianista do programa “Jô Soares onze e meia”, no SBT. Em 1992, foi escolhido pela Escola de Música Arte Livre como compositor do ano. Em 1993, venceu o concurso promovido pela prefeitura de São Paulo, com a composição “Rua Aurora”, baseada em texto do poeta Mário de Andrade por ocasião de seu centenário de nascimento. Em 1996, sua peça “Chorando”, para contrabaixo e piano, obteve o 3º lugar no II Concurso Nacional de Composição para Contrabaixo, promovido pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais. No mesmo ano, foi premiado pela APCA pelo “Concerto para vibrafone e orquestra”. Compôs também o “Concerto para flauta e orquestra”, estreado em 2000, em Londres, e o “Te Deum”, em comemoração aos 150 anos da cidade de Juiz de Fora - Minas Gerais. Edmundo VillaniCôrtes possui Mestrado em composição pela Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro e Doutorado pela UNESP CORO DA CAMERATA ANTIQUA DE CURITIBA Regência Mara Campos (SP) PROGRAMA Benjamin Britten (1913-1976) Poema de Randall Swingler (1909-1967) Advance Democracy (1938) Henrique de Curitiba (1934-2008) The Colorado Trial (1991) Barítono Marcelo Dias Osvaldo Lacerda (1927-2011) Missa Ferial (1966) I. Kyrie II. Sanctus III. Agnus Dei Edmundo Villani-Côrtes (1930) Poema de Júlio Bellodi ina de Cantador (1998) CORO DA CAMERATA ANTIQUA DE CURITIBA Fundado em 1974, como parte da Camerata Antiqua de Curitiba, desde o início de suas atividades o Coro da Camerata Antiqua de Curitiba (Coro da CAC) destacou-se pela originalidade e leveza na interpretação da música renascentista e barroca, levando o grupo a desenvolver também programas “a cappella”. Essa proposta intensificouse a partir de 1982, com inúmeros concertossob a regência de seu fundador, o maestro Roberto de Regina, e de eminentes convidados brasileiros e estrangeiros, entre eles o maestro Gerard Galloway, que por longo período respondeu pela orientação técnica do Coro. A sólida formação musical de seus componentes transformou o Coro da CAC em uma das referências da música vocal no Brasil, realizando concerto como convidado da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), sob a regência de Roberto Minczuk, entre outras apresentações pelo país. Ao abordar diferentes vertentes, com a incorporação da música contemporânea e estreias de peças escritas especialmente para o grupo, o Coro da CAC adquiriu a marcante característica de transitar com autoridade por um vasto e eclético repertório. O investimento em concertos cênicos e a realização de grandes apresentações renderam ao grupo reconhecimento que extrapolou fronteiras. Entre os concertos internacionais mais significativos destaca-se a turnê por cinco cidades alemãs, cantando “a cappella” e com a Orquestra de Câmara da Philarmonica de Arad (Romênia), em 2006. No ano seguinte, o grupo excursionou por Portugal, acompanhando a Orquestra Sinfônica da Póvoa do Varzim, a convite do 29º Festival Internacional de Música do Algarve. Em 2008, integrou o 8º Simpósio Mundial de Música Coral, realizado em Copenhague (Dinamarca), quando apresentou os espetáculos “Cores do Brasil” e “Lampejos da Música Sacra no Brasil”. A participação no 18º Festival Corale Internazionale - La Fabbrica Del Canto, na Itália, em 2009 - resultado do sucesso alcançado na Dinamarca –, fez com que o Coro da CAC levasse quatro programas diferentes para uma série de dez concertos pela região da Lombardia, com início na cidade de Legnano e término em Milão. A performance obteve críticas favoráveis da imprensa europeia, que o elegeu como um dos dez melhores grupos vocais da época. Em 2013, representou o Brasil na Bienal de Coros de Aachen (3ª Internacional Chorbiennale), na Alemanha. Esse trabalho vitorioso tem o respaldo de nomes consagrados na música, como Neyde Thomas, orientadora de técnica vocal no período de 1992 a 2011; o maestro Wagner Polistchuk, diretor artístico da Camerata Antiqua de Curitiba (coro e orquestra, de 2009 a 2011); e a regente de Coro, Helma Haller, de 2009 a 2012. Em 2013 e 2014, a regente cubana Maria Antonia Jimenez esteve à frente do grupo. Desde 2015, Mara Campos é regente titular e diretora musical do Coro da CAC, e atualmente, conta com o apoio técnico vocal de Denise Sartori. Mara Campos (São Paulo) - Regente Regente coral desde 1978, formando e dirigindo inúmeros conjuntos, como: CORALUSP, Coral da Aliança Francesa, Coral da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Coral do Portal, Grupo SomA-Pino, Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo e os Corais Infantil e Juvenil da Escola Municipal de Música. Mara Campos recebeu orientação de Adriana Ribeiro e Maria Luiza Carvalho, Benito Juarez, Hugg Ross, Henrique Gregori, J. E. Gardiner, Beth Pinheiro, Osvaldo Lacerda e Damiano Cozzella, além dos cantores Lucia Passos e Fernando Carvalhaes. Integrou o Projeto Villa-Lobos de Canto Coral - INM/FUNARTE e foi professora de Regência e Canto Coral em 20 edições da Oficina de Música de Curitiba. Regente convidada dos coros ingleses BBC Singers, New College e The Sixteen, do conjunto Vox Brasiliensis, da instalação coral Concerto Concreto da Bienal “A Trama do Gosto” e da gravação do CD Villa-Lobos, em Paris (França), respondeu pela criação e direção musical dos espetáculos ZAP - O Resumo da Ópera e Coro dos Contrários - 22. Mara Campos criou e coordenou os Festivais de Coros da Aliança Francesa, Igreja São Francisco, Grupo Pão de Açúcar e o Encontro de Coros Camargo Guarnieri do Festival do Theatro Municipal de São Paulo. Integra o Projeto Canto em Movimento junto a escolas de ensino fundamental do SESI em São Paulo, e é professora de regência e canto coral da Faculdade de Música Cantareira e da FITO - Conservatório Villa-Lobos. Mara Campos é Diretora Musical e Regente do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba. CORO DA CAMERATA ANTIQUA DE CURITIBA Maestro Emérito Roberto de Regina CORO Sopranos: Darci Almeida, Luísa Favero, Luciana Melamed, Naura Sant´Ana, Silvia Suss Marques, Karolyne Liesenberg (convidada) Contraltos: Ariadne Oliveira, Cissa Duboc, Daniele Oliveira, Fátima Castilho, Mirta Schmitt Tenores: Alexandre Mousquer, Lucio Hossaka, Maico Sant’Anna, Marcos Brito, Sidney Gomes NOSSO CANTO REGIONAL CAJURU E TATUQUARA Regência Maico Sant’ Anna (RJ/PR) PROGRAMA Paulo Soledade Arranjo de Roberto Rodrigues Estão voltando as flores Cassiano e Sílvio Rochael Arranjo de Roberto Rodrigues Primavera CORAL DA REGIONAL CAJURU O Coral da Regional Cajuru nasceu sob a regência de Ademir Maurício Silva, no ano de 2002. Desde esta data, o trabalho nesta Rua da Cidadania no Cajuru, integrava o objetivo de sensibilizar e envolver a comunidade no aprendizado do canto e na atividade coral. Muitas pessoas têm usufruído deste trabalho que desde final de 2015, conta com a regência de Maico Sant’ Anna. Integrantes Adianeza Zeni, Alanis Guerra, Ana Helena Freitas Gil, Andreia Do Rosario, Andressa Gabado, Angela Barbosa, Angela Cortes, Anne Lermusiau, Bruna Machado, Bruna Rolin Barbosa, Claudia Trevisan Avelino, Cristina Ribeiro, Daniela Jesus, Debora Norato, Edgar Mathias De Souza, Edson Elusnhaki, Eliane Wal, Erick Ribeiro, Fátima Da Silva, Gilson Sebastião Jr., Helenice Bonacordi, Isabela Magalo, Ivanise Ribeiro, Jaciony Barbosa, Jaqueline Mazoni, Jeanete Ferreira, Jizriel Andrade, Joelda Medina, Josué Mizael, Julia Marzani, Juliane Bilak, Jurema Chiarelo, Karolina Jheniffer Silva, Kauaw Silva, Ladir Silva, Larissa Picetskei, Laura Bielak, Leandra Goveia, Leandro França, Lenian Cenedeze, Ligia Caldeira, Liliane Silva, Lóris Magaldi, Lucas Santos, Lucas Matayoshi De Lima, Luciana Hayashi, Luciano Santos, Luiz Alberto Silveira, Luiz Carlos Lima, Luiz Machado, Manuela Poca, Mara Rubia Martins, Marcia Sobral Cortinhas, Marco Tadeu Grassi, Margareth Alvares, Margarida Fujiwara, Maria Antonia Jesus, Maria Aparecida Passos, Maria Cleide F., Maria Das Graças Ribeiro, Maria Eduarda Jaco, Maria Fraga Batista, Mariane Ribeiro, Mariza Souza, Marjorie Paula, Marlene Delfrate, Mary Neves, Melissa Friedemann, Niuza Ferreira, Odileia Santos, Oiran Nogueira, Paloma Santos, Patricia De Paula, Paula Oliveira Lima, Rebeca Silva, Rebecca Souza, Regina Helena Hayashi, Rejane Amaral Souza, Ricardo Cardoso, Rogerio Souza, Ronara Barbosa, Rosicler Felski, Rosilene Pinto, Rosimere Castro, Sandra Martins, Sheila Silva Costa, Sirley Goes M., Suzan Paes, Thainara Menezes, Thiago Zeni, Vanessa Silva, Viviane Cristina Reis, Yasmin Oliveira Piano - Jessé Piñon CORAL DA REGIONAL TATUQUARA O Projeto Nosso Canto alcançou a Regional de Tatuquara em agosto de 2016. Desde então, a comunidade tem sido sensibilizada no sentido do desenvolvimento do canto coral. Em atuação com a coordenação da Fundação Cultural de Curitiba da Regional do Tatuquara, este grupo tem realizado incursões em outras linguagens como cinema e museus. Tudo isso, aliado a música tem constituído elevados elementos de desenvolvimento humano aos participantes do projeto. Cantores Alceu Jr., Aldina Melo, Almirante de Carvalho, Ana Carolina, Antônio Oliveira, Camila Godoi, Cristian Gonçalves, Cristiano Ribeiro, Dorival Conceição, Edilene Carvalho, Erondina Moes, Eudóxia Menezes, Eunice Neris, Grace Keli Silva, Guilherme Silva, Gustavo Silva, Igo Aguiar, Jacson Silva, José Carlos Cunha, Juliana Freitas, Juliana Saturnino, Karla Santos, Kátia Silva, Kauane Bernal, Lean Miranda, Lucas Neris, Luciana Bernal, Luzia Silva, Márcia Alves, Marcos Inocêncio, Maria Barros, Maria Silva, Maria Pereira, Maria Eduarda, Maria Bento, Marinete P., Mayara Melo, Milena Sampaio, Mirian Cunha, Nadir Barros, Nilson Bernal, Norma Silva, Rafaela Miranda, Regina Alvarenga, Rodrigo Camargo, Sampaio Leonidas, Sônia Nogueira, Tatiana Bernal, Wellington Manasés, Yasmin Santos, Senira Nascimento Piano - Jessé Piñon Maico Sant’ Anna (RJ/PR) - Regente Natural de Niterói - RJ. Sua iniciação na música se deu através do estudo do piano, aos nove anos de idade. Como cantor lírico, recebeu orientação de Denise Sartori e NeydeThomas. Participou de masterclasses com Maria Cristina Kiehr, Rodrigo Del Pozzo, Marilia Vargas, David Munderloh, Eiko Senda. Cantou em montagens de ópera como “O Fantasma de Canterville” de Jaime Zenamon, com a Orquestra Sinfônica do Paraná e “La Didon” de Henry Desmarest no papel de Eneas, também cantou Tamino de A Flauta Mágica de Mozart e Nemorino de L’elisir d’amore de Donizeti . Desde 2007, integra o Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, onde desenvolve intensa atividade camerista e também se apresenta como solista em diversas obras. Atualmente também exerce a função de ensaiador do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba ILLVMINATA Direção Musical Daniele Oliveira (MS/PR) PROGRAMA Juan del Encina (1469-1530) Ay Triste que vengo Una sañosa porfia Anônimo (séc. XVI) Venid a sospirar Juan del Encina (1469-1530) Fata la parte Anônimo (séc. XVI) Dindiridin ILLVMINATA Em sua primeira aparição ao público, tendo como programa “O Livro Vermelho de Montserrat” e direção da criadora do grupo, Daniele Oliveira, o ILLVMINATA mostrou possuir elementos que contribuem sobremaneira com a cultura do Estado do Paraná, reconhecido nacional e internacionalmente por suas ações em Música Antiga. Ao abordar a música medieval, renascentista e barroca de forma vívida, confirma a imagem do Paraná como ambiente propício à prática e desenvolvimento da Música Antiga e recupera parte da memória musical de Curitiba, resgatando os tempos onde a cidade foi referência nos anos 70, 80 e 90, reforçando a imagem de polo de produção de Música Antiga do Estado. Primeiro através da inspiração de Roberto de Regina e Ingrid Seraphim, de onde nasceu a Camerata Antiqua; depois, com o histórico Conjunto Renascentista, criado por Eunice Brandão em 1981, que se transformaria em 1984 no Studium Musicae sob direção de Flávio Stein ao buscar interpretar repertórios que iam do medievo ao renascimento. Com seu repertório amplo e diversificado de música vocal e instrumental, o conceito “música antiga” que abriga em si muitos estilos e nacionalidades continua atraindo o interesse de músicos, artistas, estudantes e público em geral. Repertório este, multidisciplinar na sua essência, já que reúne a música, a literatura (poesia e prosa), a representação cênica (o teatro) e a plasticidade visual através de figurinos e ambientes cênicos. Desenvolvendo concertos, mostras e oficinas, o ILLVMINATA busca aliar a pesquisa histórico-musical e a prática musical atual com o conhecimento e o aconselhamento dos mais experientes, como Roberto de Regina, Luís Otávio dos Santos, Ibaney Chasin, Mara Campos e Flávio Stein, entre outros. Daniele Oliveira (MS/PR) - Direção Musical Iniciou seus estudos em Campo Grande (MS) com Clarice Maciel. Atuou em festivais e masterclasses com Neyde Thomas, Enza Ferrari, Carlo Colombara, Eiko Senda e Maria Cristina Kiehr. Estudou Licenciatura em Música na UFMS e Bacharelado em Canto na EMBAP com Denise Sartori. Atuou nas montagens cênicas The Mikado de Gilbert & Sullivan, The Old Maid and The Thief de Menotti e Suor Angelica e Gianni Schicchi de Puccini, King Arthur de Purcell, Orfeo Dolente de D.Belli e Die Schöne und Getreue Ariadne de J.Conradi. A frente da Camerata foi solista no Requiem de Bruckner, Stabat Mater e Nelson Mass de Haydn e cantatas de Bach sob a regência de Luís Otávio Santos, Dixit Dominus de Handel com Juan Manuel Quintana, Salmi Concertati de Bassani com Martin Gester e Requiem de Jomelli com Peter Van Heyghen. Illvminata Ensemble Vocal Letícia Burtet, Maria Clara Nunes Barbosa, Daniele Oliveira, Jean Alisson, Pietro Pizzatto, Caio Nascimento, Ademir Silva e Naura Sant’ Ana Ensemble Instrumental Gabi Rogalsky - Flauta doce Geraldo Wehmhoff - Flauta doce, Viola da gamba David Lima - Flauta doce Thomas Jucksh - Viola da gamba Aluísio Coelho – Alaúde MUSICAR REGIONAL BAIRRO NOVO E BOQUEIRÃO Regência Professores do MusicaR PROGRAMA Domínio Público - Bolívia Arranjo de Marcelo Búrigo La Mariposa (La Morenada) Regente Letícia Joviana Bredow Wille Flauta doce Ângela Deeke Sasse, Franciele Oliveira Quena Franciele Oliveira Acordeão Gustavo Toscan da Silva Violão Santiago Marreiros Percussão Gabriel Mendes Cruz Domínio Público - Zâmbia Arranjo de Antonio Expósito Bonse Aba Regente Paula Harada Piano Jessé Piñon Violino Guilherme Romanelli Percussão Nalyn Moriah Lichs Cezar, Gabriel Mendes Cruz Fernando Guimarães Arranjo de Cristiane Alexandre Feito Borboleta Regente Marisleusa de Souza Egg Piano Jessé Piñon Violino Guilherme Romanelli Flauta doce Ângela Deeke Sasse Percussão Gabriel Mendes Cruz PROGRAMA MUSICAR A Fundação Cultural de Curitiba e o Instituto Curitiba de Arte e Cultura deram início em setembro de 2017 ao Programa MusicaR, que tem por missão descentralizar as ações de formação musical para as Regionais de Curitiba com a oferta de um Curso Integrado de Musicalização nas Regionais para crianças e adolescentes no contraturno escolar. O Programa MusicaR foi elaborado a partir de um plano pedagógico sob a supervisão da professora Ângela Deeke Sasse, docente na UNESPAR/Curitiba - Campus I - Escola de Música e Belas Artes do Paraná e PUCPR, com a colaboração da maestrina do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, Mara Campos, da professora Cristiane Alexandre da Escola Paidéia e dos professores Guilherme Romanelli da UFPR e Luís Bourscheidt do IFPR-Campus Curitiba. Os professores que atuam no programa diretamente com as crianças e adolescentes, têm acompanhamento pedagógico e capacitação contínua, são, em sua maioria, egressos e estudantes dos cursos de Licenciatura em Música da UNESPAR/ Curitiba - Campus I (EMBAP) e II (FAP), da Universidade Federal do Paraná - DeArtes e da PUCPR - Pontifícia Universidade Católica do Paraná - Campus Curitiba. O objetivo do MusicaR é promover a musicalização na comunidade de maneira democrática e inclusiva, onde o aluno seja capaz de expressar-se por meio da música de forma autêntica, desenvolvendo autonomia, concentração, atenção, autodisciplina, respeito ao próximo, e a socialização e afetividade. As Regionais contempladas pelo MusicaR, neste primeiro semestre de 2018, são: Cajuru, Tatuquara, Boqueirão, Pinheirinho e Bairro Novo, sendo que o programa atinge cerca de 270 crianças diretamente, na maioria alunos da rede pública de ensino. PROFESSORES COORDENADORES DO MUSICAR E REGENTES Ângela Deeke Sasse (SC/PR) -Coordenadora do MusicaR Natural de Blumenau, formou-se no curso de Licenciatura em Música e em Bacharelado em Flauta doce na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, onde concluiu também a pós-graduação em Música de Câmera. Mestre em 2016 pelo Programa de Pós-graduação em Música da UFPR. Atualmente é professora de música na UNESPAR – Curitiba / Campus 1 - Escola de Música e Belas Artes do Paraná, e na Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Dirige e integra o Conjunto livre de Flauta doce da Embap - Ressonâncias, desde 2007, é membro do grupo de Música Antiga Illvminata desde 2017. Faz parte da equipe de Coordenação Pedagógica do Programa de Musicalização nas Regionais de Curitiba - MusicaR desde 2017, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba e a Instituto Curitiba de Arte e Cultura. Cristiane Alexandre (PR) - Coordenadora do MusicaR É mestre em música pela UFPR. Estudou piano com Vera Di Domênico, canto com Neyde Thomas e harmonia e análise com Osvaldo Colarusso. Dedica-se à ducação musical, especialmente ao canto coral infantojuvenil. Ministrou o curso de Didática de Coro Infantojuvenil em várias edições da Oficina de Música de Curitiba. Como diretora da Paidéia - Escola de Música e Produções Artísticas, atua na produção de projetos culturais, efetivando festivais, concertos, óperas, CDs e DVDs. Pelo Circuito Sonora Brasil do SESC Nacional realizou duas turnês com concertos pelas 5 regiões brasileiras: com o Madrigal Vocale, coro que integra desde 1994, interpretando um panorama da música coral brasileira, e com o Madrigal Paidéia repertório coral de Villa-Lobos. É regente do Papo Coral Infantojuvenil com quem realizou diversos intercâmbios musicais em Portugal, Itália e com o Coro da Catedral de Notre Dame em Paris. Atua na Coordenação Pedagógica do Programa de Musicalização nas Regionais de Curitiba - MusicaR desde 2017, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba e a Instituto Curitiba de Arte e Cultura. Cristiane Alexandre (PR) - Coordenadora do MusicaR É mestre em música pela UFPR. Estudou piano com Vera Di Domênico, canto com Neyde Thomas e harmonia e análise com Osvaldo Colarusso. Dedica-se à educação musical, especialmente ao canto coral infantojuvenil. Ministrou o curso de Didática de Coro Infantojuvenil em várias edições da Oficina de Música de Curitiba. Como diretora da Paidéia - Escola de Música e Produções Artísticas, atua na produção de projetos culturais, efetivando festivais, concertos, óperas, CDs e DVDs. Pelo Circuito Sonora Brasil do SESC Nacional realizou duas turnês com concertos pelas 5 regiões brasileiras: com o Madrigal Vocale, coro que integra desde 1994, interpretando um panorama da música coral brasileira, e com o Madrigal Paidéia repertório coral de Villa-Lobos. É regente do Papo Coral Infantojuvenil com quem realizou diversos intercâmbios musicais em Portugal, Italia e com o Coro da Catedral de Notre Dame em Paris. Atua na Coordenação Pedagógica do Programa de Musicalização nas Regionais de Curitiba - MusicaR desde 2017, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba e a Instituto Curitiba de Arte e Cultura. Guilherme Gabriel B. Romanelli (PR) - Coordenador do MusicaR Mestre e Doutor em educação, é professor da Universidade Federal do Paraná nos cursos de Pedagogia, Educação Musical, Luteria e no Programa de Pós-graduação (mestrado e doutorado) em música. Enquanto músico (violino, viola e rabeca) gravou CDs e se apresentou no Brasil e exterior. Foi palestrante e apresentou trabalhos na Dinamarca, Lituânia, Alemanha, Colômbia, Portugal e em 19 estados brasileiros. É autor de livros, artigos e capítulos de livros no Brasil e no exterior. Atua na Coordenação Pedagógica do Programa de Musicalização nas Regionais de Curitiba - MusicaR desde 2017, desenvolvido pela Fundação Cultural de Curitiba e a Instituto Curitiba de Arte e Cultura. Leticia Joviana Bredow Wille (SC/PR) - Regente Natural de Joaçaba (SC), formada em Licenciatura em Música pela Universidade Estadual do Paraná / Campus de Curitiba II - FAP. É professora de música (educação infantil e fundamental I) e regente de Canto Coral na Escola Projeto Lápis de Cor. É professora de música (fundamental II) na Escola Willy Janz. Atuou como regente auxiliar na preparação dos Coros no Espetáculo dos 500 Anos da Reforma ocorrido na Expo-Renault em outubro de 2017 e no Coro Infanto-Juvenil do Concerto de Natal Positivo 2017. Atuou como regente de coros em igrejas luteranas (IELB) de Curitiba. Atualmente é professora de Canto Coral no Programa MusicaR da Regional do Bairro Novo. Paula Harada (PR) - Regente Paula Harada é professora no Programa MusicaR em Canto Coral das Regionais do Boqueirão e Tatuquara. Atua como regente do Cantateca - Coral Infantojuvenil da Biblioteca Pública do Paraná desde sua fundação em 2013; produtora cultural; soprano do Madrigal Vocale desde 2013; do Papo Coral desde sua fundação em 2002 no qual trabalha como regente auxiliar, e é instrumentista da Orquestra Rabecônica do Brasil desde CAMERATA ANTIQUA DE CURITIBA 17 2012. Bacharel em Musicoterapia na Universidade Estadual do Paraná - campus FAP e Psicologia pela Universidade Federal do Paraná. Marisleusa de Souza Egg (PR) - Regente Graduada em Licenciatura em Música pela UNESPAR/Curitiba - Campus I - EMBAP e Bacharelado em canto pela mesma instituição. Foi aluna de Neyde Thomas, Roseli Schünemann e Denise Sartori, entre outros professores. Participou do grupo vocal AmeriCantiga e do Collegium Cantorum - coro feminino. Foi professora de música na Educação Infantil e no Ensino Fundamental nos Colégios Nossa Senhora de Sion, Colégio Marista Santa Maria, Positivo e Medianeira. Tem mestrado em música - Educação Musical pela UDESC. É professora substituta no curso de Licenciatura em Música da UNESPAR/Curitiba - Campus II - FAP. Cantora do grupo vocal Curitibôcas da Escola de Música Paidéia. Atua como professora de Musicalização e Canto Coral no Programa MusicaR da Regional do Cajuru. OTTAVA BASSA - Regência Alexandre Mousquer (SC/PR) PROGRAMA Matthew Armstrong Música Solista Victor Cordeiro dos Santos Morten Lauridsen (1943) O Magnum Mysterium Tradicional Spiritual Arranjo de Peter Knight Swing Low, Sweet Chariot Solista Marcelo Dias Leslie Bricusse (1931) I Anthony Newley (1931-1999) Arranjo de Jay Althouse Pure Imagination “Willy Wonka and the Chocolate Factory” John Stephens (1978) I Lonnie Lynn (1972) I Che Smith (1977) Glory “Selma” Solistas Cristhyan Segala, Edmar Junior Participação especial Alexandre Moreira OTTAVA BASSA O Coro Masculino Ottava Bassa teve o início de suas atividades em abril de 2016, formado por cantores profissionais e estudantes de canto. Surgiu com o objetivo de trazer para o cenário de canto coral um repertorio diferenciado especifico para esta formação tão pouco realizada no Brasil. Em 2016 participou da Opera Der Freischütz “O Franco Atirador”, no Teatro Guaira e também realizou o espetáculo “Smile” no Espaco Cultural Capela Santa Maria. Participou da I e II Semana de Canto Coral Henrique de Curitiba organizada pelo Coro da Camerata Antiqua de Curitiba. Na edição de 2016 recebeu o prêmio de melhor Coro Masculino, categoria erudito, do Festival Internacional de Corais de Curitiba - Cantoritiba. Alexandre Mousquer (SC/PR) - Regente Nascido em Florianópolis, estudou piano e canto lírico com Domingos Moreno e Helder Cadore. Na Escola de Música e Belas Artes do Paraná, teve como mestres em canto, Denise Sartori e Neyde Thomas. Dentre outros mestres destacam-se, Luiza Gianinni, Marília Vargas, Carlo Colombara, Marconi Araújo, IvannaSperanza e Eiko Senda. Apresentou-se como solista com a OSSCA, Orquestra SCAR e OSIMPA. Interpretou personagens nas óperas “Il Maestro diCappella”, “Gianni Schicchi”, “Mirandolina”, “Fosca” no Theatro São Pedro em São Paulo e “L’ocasionefail Ladro”. Integrante do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba vem atuando como solista, apresentando-se no Brasil e exterior. Atualmente é o Representante do Coro da CAC. Alexandre desenvolve trabalho como professor de técnica vocal e regência coral. Ottava Bassa Tenores 1 - Alexandre Pratas, Cristhyan Segala, Danilo Cardozo da Silva, Eduardo Maldonado, Henrique de Araújo Rodrigues, Jonathan Tomas da Silva, Lucas Vinicius Nery de Lima, Raony Gleyson Sousa Lima, Yoran Sebastian Peres de Souza. Tenores 2 - Alessandro Ventura de Barros Battaglin, Edmar Anderson Lanes Junior, Eduardo Witt, Juliano Trevisan, Luiz Carlos Moro Redeschi, Ricardo Gomes, Silas Dias Amaral, Sivaldo de Mota da Silva (simba), Victor Cordeiro dos Santos. Barítonos - Alan Rocha dos Santos, André Luiz Silva Maia, Cezar Brajão Assad de Carvalho Rodrigues, Fernando da Silva Magalhães, Isac Brajão Assad de Carvalho Rodrigues, João Carlos Facin Rodrigues Braz, Lucas Fontes de Carvalho, Reinaldo Mariano de Brito Junior, Volnei Jorge Pinheiro Junior. Baixos - Arno Roberto Buttendorff, Athos Graton Roman, Caio Lúcio Nascimento Carlos Alex Mathias da Silva, Fabio Murilo Frari, Leandro Piva, Marcelo Dias da Silva Ricardo Ramos. Piano - João Davi Kluber Percussão - Juliano Matteussi (Simba) Coreografia - Juliano Trevisan VOCAL BRASILEIRÃO - Regência e violão Vicente Ribeiro (RJ/PR) PROGRAMA Sérgio Santos I Paulo César Pinheiro Arranjo de Vicente Ribeiro Áfrico Sérgio Santos I Paulo César Pinheiro Arranjo de Vicente Ribeiro Litoral e Interior Sérgio Santos I Paulo César Pinheiro Arranjo de Vicente Ribeiro Gongá Sérgio Santos Arranjo de Vicente Ribeiro Iô sô VOCAL BRASILEIRÃO O Vocal Brasileirão foi criado e idealizado pelo regente e arranjador Marcos Leite (1953-2002), que esteve à frente do grupo no período de 1995 a 2001. No período de 2002 a 2005 foi conduzido por Reginaldo Nascimento e desde 2006 conta com a direção artística de Vicente Ribeiro. Todos os cantores do Vocal Brasileirão são solistas; desta maneira, o público tem a oportunidade de ouvir não somente o resultado do conjunto de vozes, mas também os timbres particulares de cada um de seus integrantes. Em um extenso repertório acumulado ao longo de quase 20 anos, há canções de Ary Barroso, Caetano Veloso, Chico Buarque, Dorival Caymmi, Edu Lobo, Gilberto Gil, Guinga, Joyce Moreno, Milton Nascimento, Noel Rosa, Tom Jobim e Zé Rodrix, além dos paranaenses Paulo Leminski e Sérgio Justen. Dentre dezenas de espetáculos realizados, cabe destacar “Coisas nossas”, “Como uma onda”, “Splish splash”, “Duetos”, “Bastidores”, “Eu canto samba”, “Estandartes do Contestado”, “Brasileirão 20 anos”, “Brasil Gongá” e “Antônio Brasileiro - Vocal Brasileirão e Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba interpretam Tom Jobim“. O grupo recebeu por três vezes consecutivas (1997, 1998, 1999) e ainda em 2002, o prêmio “Saul Trumpet” como Melhor Grupo Vocal do Estado do Paraná. A partir de 2006, sob a direção de Vicente Ribeiro, o grupo passou a dedicar-se paralelamente à montagem de shows com convidados especiais, tendo dividido o palco com artistas e grupos como Quarteto em Cy, Boca Livre, Joyce Moreno, Sá & Guarabyra e Ivan Lins. Em 2008, o Vocal Brasileirão gravou seu primeiro CD solo, “Invisível Cordão”, dedicado à obra de Chico Buarque e Edu Lobo. Com um som personalizado e envolvente, já conquistou um lugar de destaque na vida cultural de Curitiba, combinando originalidade e alegria para obter um resultado sem similar. Vicente Ribeiro (RJ) – Regente Compositor e arranjador carioca, Vicente Ribeiro é bacharel em Música Popular pela Faculdade de Artes do Paraná (FAP-PR) e mestre em Música pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Desde 1983 desenvolve intensa atividade como arranjador, com trabalhos executados por diversos artistas e grupos brasileiros. Em 1993 foi indicado para o Prêmio Sharp na Categoria “arranjador”, por seus arranjos vocais para o CD “Beijo”, do grupo Beijo do Coralusp. Em 1996 transfere-se para Curitiba, quando é convidado para atuar como diretor musical do grupo vocal O TAO DO TRIO. Desde então vem trabalhando intensamente na produção de CDs, como arranjador, instrumentista e produtor musical. Em 2000, foi responsável pela produção musical e arranjos do CD Uns Caetanos, do grupo TAO DO TRIO, lançado no Brasil em 2001 pela gravadora Cid Entertainment, e no Japão, em 2002, pela Emi-Toshiba. Este trabalho recebeu o Prêmio Saul Trumpet de melhor CD do Paraná e resultou na indicação do Tao do Trio ao Prêmio da Música Brasileira, na categoria “melhor grupo de MPB”. Em 2015, produziu e arranjou o terceiro CD do Tao do Trio, “Flor de Dor - Tao do Trio canta Etel Frota”, que rendeu ao grupo uma nova indicação Prêmio da Música Brasileira. Paralelamente, atua no ensino de música: atuou como professor em instituições como PUC-PR e EMBAP e em diversas edições da Oficina de Música de Curitiba; de 2004 a 2011 foi coordenador pedagógico do Conservatório de MPB de Curitiba. Atualmente é professor do Bacharelado em Música Popular da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), regente do Grupo de MPB da UFPR e realiza seu doutorado em música na UNICAMP, onde desenvolve pesquisa acerca da produção pós-bossanovista de Tom Jobim. Vocal Brasileirão Sopranos: Suzie Franco, Renildes Chiquito Mezzos: Jô Nunes, Renata Melão Contraltos: Fernanda Sabbagh, Beth Lopes Tenores: Yan Lemos, Reginaldo Nascimento Barítonos: Jomar Lima, André Dittrich Baixos: Marcos Appel, Freddy Branco Direção Artística: Vicente Ribeiro Regente Assistente: Reginaldo Nascimento Pianista: Assistente Guilherme Franco Piano: Guilherme Franco Capela Santa Maria - Espaço Cultural Curitiba - Paraná Brasil



Fundação Cultural de Curitiba

Desenvolvido por Polvo Digital