Fundação Cultural de Curitiba

Fundação Cultural de Curitiba

Galeria

Visualizar: Coleções Álbuns

35ª Oficina de Música de Curitiba / CONCERTO DE ENCERRAMENTO - foto: Cido Marques© 2018

CONCERTO DE ENCERRAMENTO DA ORQUESTRA SINFÔNICA E CORO ADULTO DA 35ª OFICINA DE MÚSICA DE CURITIBA Direção Artística, Regente Abel Rocha Regente Assistente Natália Laranjeira Produção Executiva da Orquestra Sinfônica Carlos Domingues Regente da Classe de Coro Adulto Mara Campos Preparadora Vocal Lúcia Passos Professor da Classe de Spallas Emmanuele Baldini Solistas Piano Estefan latcekiw Viola Anna Serova Bailarino Raul Luiz Grossi Soprano Rosana Lamosa Barítono Leonardo Neiva PROGRAMA Schumann-Liszt - Widmung Piano Estefan latcekiw Brasílio Itiberê (1846-1913) - A Sertaneja Piano Estefan Iatcekiw Rimsky-Korsakovm (1844-1908) Scheherazade (1888) * 1. O mar e o navio de Simbad Largo e maestoso - Allegro non troppo 2. A história do Príncipe Kalender Lento - Andantino - Allegro molto - Con moto 4. Festa em Bagdá - Naufrágio do barco nas rochas - Allegro molto - Vivo - Allegro Non troppo majestoso Roberto Molinelli (1963) - Lady Walton´s Garden (2016) (Para viola e orquestra) 1. Victoria Amazônica 2. Paulo Borracho Viola Anna Serova Bailarino Raul Luiz Grossi Heitor Villa-Lobos (1887-1959) - Pater Noster Regente Mara Campos Preparadora Vocal Lúcia Passos Pianista Clenice Ortigara George Gershwin (1898-1937) Suíte da Ópera Porgy and Bess 1. Introduction* 2. Summertime* 3. A woman is a sometime thing* 4. The Promise´Lan´* 5. I Got Plenty o’ Nuttin * 6. Bess, You Is My Woman Now 7. Oh, I can´t sit down* 8. It Ain’t Necessarily So 9. Oh, lawd, I´m on my away Soprano Rosana Lamosa Barítono Leonardo Neiva As peças para piano solo executada por Estefan Iatcekiw é uma homenagem ao compositor paranaense Brasílio Itiberê (1846-1913), que era um grande amigo do compositor Franz Liszt (1811-1886). Brasilio Itiberê - A Sertaneja Trata-se de uma fantasia sobre músicas típicas brasileiras. Schumann-Liszt - Widmung Escrita por Robert Schumann para piano e voz, posteriormente foi transcrita para piano solo por Franz Liszt. Lady Walton´s Garden (2016) Composta para viola e orquestra por Roberto Molinelli como uma homenagem à violista Anna Serova. Porgy and Bess de George Gershwin Porgy and Bess é uma ópera escrita pelo compositor norte-americano George Gershwin (ópera folclórica americana, segundo ele próprio), com libreto de DuBose Heyward e Ira Gershwin. Estreou nos EUA, em 1935, no Colonial Theatre na cidade de Boston e no mesmo ano também na Broadway, no Alvin Theatre. A obra é baseada em um romance escrito por DuBose Heyward e sua esposa, Dorothy Heyward, e é centrada na história de uma comunidade afro-americana que vive em Catfish Row, vila fictícia na cidade de Charleston, na Carolina do Sul, em meados da década de 1920. Conta a história do improvável relacionamento entre Porgy, um mendigo com deficiência física que luta desesperadamente para proteger sua amada, e Bess, uma jovem viciada em drogas que se envolveu com traficantes. Desde sua estreia, Porgy and Bess tem sido considerada uma obra inovadora e controversa. O elenco original era composto integralmente por cantores afrodescendentes de treinamento lírico, o que era bastante ousado para a época (esta prática costuma ser adotada até hoje, devido ao contexto da obra). Até a década de 1970, a obra Porgy and Bess era vista pelos críticos em geral de uma forma preconceituosa, porém, atualmente é consagrada como uma das mais importantes peças do repertório operístico estadunidense. BOIOGRAFIAS Abel Rocha (Brasil) - Direção Musical, Regente Abel Rocha é um especialista em ópera, mas sua posição de destaque no cenário brasileiro se deve a uma atuação versátil e diversificada, no repertório sinfônico e também na direção musical de espetáculos cênicos, como balés, peças de teatro, e de diversos shows e musicais. Foi o responsável pela regência e direção musical de óperas do barroco de Monteverdi à modernidade de Schönberg e Debussy, passando por Handel, Mozart, Rossini, Donizetti, Verdi, Bizet e Puccini, entre outros, tendo realizado ainda a estreia mundial de títulos brasileiros como Anjo Negro, de João Guilherme Ripper, e A tempestade de Ronaldo Miranda. Entre 2004 e 2009, teve atuação marcante como diretor artístico e regente titular da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, onde empreendeu um profundo trabalho de reestruturação artística e administrativa. Nas temporadas de 2011 e 2012, foi Diretor artístico do Teatro Municipal de São Paulo e regente titular da Orquestra Sinfônica Municipal, tendo recebido diversos prêmios da crítica especializada pela programação lírica da casa. Em sua atividade como regente orquestral, vem conduzindo programas sinfônicos com orquestras como a Sinfônica Brasileira (OSB), Sinfônica de Porto Alegre, Filarmônica de Minas Gerais, Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), entre outras. Paralelamente, de 1983 a 2010 dirigiu o coral Collegium Musicum de São Paulo. Além da carreira artística, Abel Rocha tem atuado como professor e regente em diversos festivais de música e atualmente é professor de regência da Unesp e regente titular da Orquestra Sinfônica de Santo André. Estefan Iatcekiw (Brasil) - Piano Virtuoso pianista, premiado com 1º lugar no lV International Rachmaninov Piano Competition for Young Pianist (Alemanha), e com o prêmio por melhor interpretação da obra de Rachmaninov, o curitibano Estefan Iatcekiw, com apenas 14 anos, vem desenvolvendo uma proeminente trajetória artística. Iniciou seus estudos de piano aos 5 anos de idade, aos 9 anos fez seu primeiro recital solo, participou de mastersclasses com professores renomados, vencendo desde então vários concursos nacionais, dentre eles: X e Xl Concurso Profª Edna Bassetti Habbith; o Prêmio de Melhor Intérprete de Música Brasileira do compositor Heitor Villa-Lobos; “Concurso Nacional Souza Lima”, com o prêmio Hors concours; “Concurso Nacional Mackenzie”; “Concurso jovens Solistas da Orquestra Sinfônica de Goiânia”; e o “Concurso Prelúdio” - edição 2017 - da TV Cultura. Atuou como solista na orquestra de cordas da 33ª Oficina de Música de Curitiba, sob a regência do maestro Reginaldo Nascimento; Orquestra da Camerata Antiqua de Curitiba, sob a regência do maestro Osvaldo Colarusso; Orquestra Sinfônica de Goiânia, sob a regência do maestro Eliel Ferreira; e Orquestra Preludio, sob a regência do maestro Júlio Medaglia. Estudou Teoria e Harmonia com o maestro Osvaldo Colarusso. É aluno da renomada professora Olga Kiun. Anna Serova (Itália) - Viola Uma figura única na cena internacional tanto como solista e musicista de câmara, a violista Anna Serova tem várias composições dedicadas a ela nos últimos anos por alguns dos mais importantes compositores contemporâneos. Na verdade, escrevendo para ela criaram um novo gênero em composição unindo a forma da peça de concertos com a ação de uma ópera. O compositor italiano Azio Corghi, impressionado pela extraordinária personalidade musical de Serova, escreveu para ela a dramática Cantata “Fero dolore”, em uma versão com viola solo, uma mezzo-soprano e orquestra de cordas. Depois de estudar com Vladimir Stopicev no Conservatório de São Petersburgo, com Bruno Giuranna no Academy of Cremona e com Juri Bashmet no Academy of Chigiana em Siena, começou uma brilhante carreira como musicista de concertos apresentando-se em grande parte em importantes temporadas de concertos e festivais na Itália e no exterior. A beleza quente e brilhante do seu som faz com que ela seja requisitada como musicista de câmara colaborando com artistas como Ivry Gitlis, Bruno Giuranna, Salvatore Accardo, Rocco Filippini, Filippo Faes, Toby Hoffman. Atuou como solista com orquestras como a Sinfônica de Moscou, a Sinfônica da Sibéria, a Sinfônica da Carélia, a Orquestra de Câmara de Krasnoyarsk, a Orquestra de Câmara do Estado de Arkhangelsk, a Orquestra de Pádua e do Veneto, a Orquestra do Teatro Olímpico, a Filarmônica de Belgrado, a Orquestra de Câmera do Teatro Amazonas, Amazonas Philharmonica. Uma performance marcance acontece com a transfiguração dois madrigais de Monteverdi, executada pela primeira vez por Anna Serova em 2006, no Teatro Ponchielli em Cremona, sob a direção de Filippo Faes, e transmitida no canal via satélite “Sky Classica”. Há também algumas performances mundiais, como “Tang-Jok (Her)” de Azio Corghi no Festival de L’Aquila; “Dumka” de Paolo Pessina em Moscou, e a ópera trágica de “Giocasta” de Azio Corghi no Teatro Olímpico de Vicenza, onde Anna Serova, em performance instrumental atuou cenicamente no papel de Destiny. O seu CD: “Viola Collection”, foi mencionado como um dos interessantes novos álbuns de 2011 no iTunes. Para esta gravação, uma viola preciosa Amati foi usada, conhecida como “The Stauffer 1615”, de propriedade da Fondazione Stauffer e preservada na Coleção do Concílio de Cremona. Este CD traz a “Premiere Peformance in modern times” retirada de um manuscrito de Bottesini, encontrado na Biblioteca Nacional de Cremona. Algumas das suas gravações foram elogiadas pelos críticos e ganharam prêmios e reconhecimento no cenário musical. Em 2007, seu CD “Schumann narra”, gravado com Ensemble Punto It, recebeu 5 estrelas pelos críticos da revista “MUSICA”, e foi avaliado como um dos melhores CDs do mês. Em junho de 2006, a Administração da Cidade de Krasnoyarsk conferiu a Anna Serova o título de Attachè para Relações Culturais e Comerciais. E graças ao seu incansável trabalho atribuído por esta posição, pouco tempo depois, um protocolo promovendo a organização de intercâmbios culturais, comerciais e administrativos entre a vasta região da Sibéria Central e a Itália, foi assinado por Cremona e Krasnoyarsk. Anna Serova é professora de viola e música de câmara na Academia Internacional de Biella. “L. Perosi” e também freqüentemente leciona masterclasses de viola e música de câmara. Atualmente, é violista Solo do “Ensemble Punto It”, com a qual está tocando e gravando toda a música de câmara de Brahms no “Amici della Música” em Vicenza. “...Uma personalidade extraordinária no mundo da música de câmara .... Ouvi uma performance, profundamente filosófica da Sonata de Shostakovich ...” Juri Bashmet “Anna Serova, que muitas vezes toca concertos de música de câmara comigo, Bruno Giuranna e Rocco Filippini, tem um som maravilhoso, uma técnica muito brilhante e musicalidade notável ... “ Salvatore Accardo. “.... Uma musicista realizada ...Sua personalidade exibe traços de musicalidade intensa, clareza interpretativa, qualidade de som cativante e domínio completo da viola ...Uma impressionante presença no palco. ” Bruno Giurann Rosana Lamosa (Brasil) – Soprano A carioca Rosana Lamosa é uma das mais importantes sopranos brasileiras, sendo reconhecida pela crítica e meio cultural que lhe agraciou com os Prêmios APCA (1996), Carlos Gomes (1998 e 2002) e a Ordem do Ipiranga (2010) no grau de Comendadeira. Presença freqüente nos principais palcos de opera, esteve em memoráveis montagens de La Traviata, L’elisir d’amore, Carmen, La Bohème, Romeo et Julliete, Don Giovanni e Le Nozze di Figaro. Representou a personagem “Manon” na memorável produção do Festival Amazonas de Ópera, onde também participou da primeira produção brasileira do “Anel do Nibelungo” de Wagner. Cantou “O Guarany” em Lisboa; e “Armide” no Festival de Buxton, na Inglaterra; “Rigoletto”, nos EUA; e além de várias atuações como concertista, tendo se apresentado no Carnegie Hall e no Concert Hall de Seoul. Protagonizou as estreias brasileiras cmo: “Magdalena” de Villa-Lobos, “Alma” de Claudio Santoro e “A Tempestade” de Ronaldo Miranda. Apresentou-se para o Papa João Paulo II durante sua visita ao Brasil e na 9ª Sinfonia sob regência de Kurt Masur. Recentemente esteve nos papéis de Melisande, Mimi, Violetta, Juliette e Marie em La Fille du Regimen;, Lucia de Lammermoor, Norina em Don Pasquale; Rosalinde em Die Fledermaus; Anne Truelove em The Rake’s Progress; Nannetta em Falstaff; e Viúva Alegre. Em sua discografia destaca-se: Jupyra com a OSESP (BIS), Bachianas Brasileiras (Naxos), Canções do Amor (Quartz), Missa de Nossa Senhora da Conceição com a OSB (BIscoito Fino). Leonardo Neiva (Brasil) – Barítono Nascido em Brasília, o famoso barítono Leonardo Neiva é conhecido por sua performance teatral e sua versatilidade vocal. Tornou-se conhecido aos 23 anos de idade ao interpretar Fígaro (O Barbeiro de Sevilha, Rossini). Desde então, foi convidado para apresentar-se em teatros no Brasil e no exterior. Leonardo foi altamente elogiado por críticos por seu retrato de Ford (Falstaff, Verdi), na Sala São Paulo com a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Também obteve grande sucesso por seu desempenho com a Cia. Brasileira de Ópera, no papel principal do Barbeiro de Sevilha (Rossini) e no 15º Festival da Ópera Amazonas, quando participou da produção de “Tristan e Isolda” (Richard Wagner), como Kurwenal. Fora do Brasil, estreou no Teatro Municipal de Santiago do Chile, no papel de Zurga (Les Pêcheurs de Perles, Bizet); no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa-Portugal (Carmina Burana, Orff); e no Théâtre du Capitole, em ToulouseFrança, como Cecco del Vecchio (Rienzi, Wagner); além de realizar recitais e concertos na Itália, Espanha, Portugal, Colômbia e EUA. Em 2009, ele recebeu o 12º Prêmio Carlos Gomes para Melhor Artista Masculino Brasileiro por suas atuações em: “O Sumo Sacerdote de Dagon” (Samson e Delilah, Saint-Saëns), “Aeneas” (Dido e Aeneas, Purcell), bem como Kullervo (Sibelius). “Leonardo Neiva é um barítono com uma voz quente, tropical, incandescente, que liga as frases lindamente e mostra uma compreensão incrível do texto”. (Opera Tristan und Isolde 2011 - Opernwelt - Alemanha). Mara Campos (Brasil) Regente da Classe de Coro Adulto Regente coral desde 1978, formando e dirigindo inúmeros conjuntos, como: CORALUSP, Coral da Aliança Francesa, Coral da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Coral do Portal, Grupo Som-A-Pino, Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo e os Corais Infantil e Juvenil da Escola Municipal de Música. Mara Campos recebeu orientação de Adriana Ribeiro e Maria Luiza Carvalho, Benito Juarez, Hugg Ross, Henrique Gregori, J. E. Gardiner, Beth Pinheiro, Osvaldo Lacerda e Damiano Cozzella, além dos cantores Lucia Passos e Fernando Carvalhaes. Integrou o Projeto Villa-Lobos de Canto Coral - INM/FUNARTE e foi professora de Regência e Canto Coral em 20 edições da Oficina de Música de Curitiba. Regente convidada dos coros ingleses BBC Singers, New College e The Sixteen, do conjunto Vox Brasiliensis, da instalação coral Concerto Concreto da Bienal “A Trama do Gosto” e da gravação do CD Villa-Lobos, em Paris (França), respondeu pela criação e direção musical dos espetáculos ZAP - O Resumo da Ópera e Coro dos Contrários - 22. Mara Campos criou e coordenou os Festivais de Coros da Aliança Francesa, Igreja São Francisco, Grupo Pão de Açúcar e o Encontro de Coros Camargo Guarnieri do Festival do Theatro Municipal de São Paulo. Integra o Projeto Canto em Movimento junto a escolas de ensino fundamental do SESI em São Paulo, e é professora de regência e canto coral da Faculdade de Música Cantareira e da FITO - Conservatório Villa-Lobos. Mara Campos é Diretora Musical e Regente do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba. Lúcia Passos (Brasil) Preparação Vocal da Classe de Coro Adulto. Mineira, radicada no Rio Grande do Sul, trabalha como professora de Técnica Vocal para Coro, paralelamente às atividades de cantora e professora de Canto. Foi professora de Técnica Vocal do Coral Unisinos - Universidade do Vale do Rio dos Sinos (RS) por 26 anos e coordenadora cultural da mesma universidade, durante cinco anos. Ministrou cursos por todo o Brasil, por meio da Funarte, incentivando o desenvolvimento do canto coral, bem como a formação de novos orientadores vocais. Foi solista da Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra de Câmara da OSPA e Orquestra de Câmara Theatro São Pedro, entre outras. Emmanuele Baldini (Itália) Professor da Classe de Spallas. Emmanuele Baldini nasceu em Trieste (Itália) cercado pela música. Seu pai, Lorenzo Baldini, foi um importante pianista e didata italiano; e sua mãe, Eletta Baldini, foi professora de teoria e solfejo no conservatório da sua cidade, além de ser uma formidável pianista também. Depois dos estudos em Trieste com Bruno Polli, Baldini se aperfeiçoou em Genebra com Corrado Romano; em Salisburgo e Berlim com Ruggiero Ricci; e mais recentemente na regência com Isaac Karabtchevsky e Frank Shipway. Desde sua adolescência ganhou inúmeros concursos internacionais, entre as quais se destacam o “Premier Prix de Virtuosité avec Distinction” em Genebra, o “Forum Junger Künstler” em Viena e mais dez concursos para solistas ou em grupos de câmara. Baldini tocou como solista ou em duo pelo mundo inteiro, com cinco turnês no Japão, duas nos EUA, uma na Austrália, e já se apresentou em todas as principais salas de concerto das capitais europeias, da América latina, e principalmente no Brasil, que escolheu em 2005 como sua residência. Na Itália, Baldini foi “spalla” da Orchestradel Teatro Comunaledi Bologna, Orchestradel Teatro alla Scala di Milano, e a Orchestradel Teatro “Giuseppe Verdi” di Trieste, e desde 2005 é “spalla” titular da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP). Sua incansável curiosidade e paixão pela música fez o Baldini ampliar seus horizontes, e depois de uma carreira notável como violinista (com mais de 15 CD gravados, quase 40 concertos diferentes em seu repertório e todas as Sonatas mais importantes para violino), iniciou seu aperfeiçoamento como regente, fundou o Quarteto OSESP (com os chefes de naipe da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, intensificou sua atividade didática e, com o violino, começou a explorar o precioso repertório brasileiro, em parte injustamente desconhecido. Seus projetos futuros incluem a estreia como regente no Teatro Colón de Buenos Aires, uma apresentação em São Paulo de uma obra de John Adams com a regência do próprio compositor, e o lançamento de vários CDs, além da continuação de suas atividades como líder da sua orquestra e do seu quarteto. Emmanuele Baldini é casado com Veroni, e os dois moram em São Paulo, cidade que ele adora assim como adora seu querido Brasil, o país que o acolheu. ORQUESTRA SINFÔNICA DA 35ª OFICINA DE MÚSICA DE CURITIBA Violinos Ariel Polycarpo (*spalla 2º mov. Scheherazade), Dâmaris dos Santos (*spalla 4º mov. Scheherazade), Gustavo Di Giannantonio (*spalla 1º mov. Scheherazade; Viola Concerto), Paulo Ricardo Brito de Freitas (*spalla Porgy and Bess), Allan Ismael T. de Oliveira, Bárbara Barth Melillo, Danilo Alves Diogo Gauziski, Eder Paulo da Silva Júnior, Emilia Ventura, Gidêoni Loamir Verissimo, Marcos Antonio de Lazzari Júnior, Mateus Vieira Rocha, Melisa Corso, Rafael Mafra, Ricardo Molter, Rubén Mauricio Jiménez, Aguilar Thiago da Costa, Vinícius Batista, Vinícius Botaro, Vinícius Ricardo Martins. Violas Christian Santos, Cleverson Cremer, Karyni Da Vila, Lucas Vieira Lima, Mariana Duarte, Matheus Gadelha, Otávio Monteiro, Raquel Paz. Violoncelos Breno Barone, Gustavo Alencar, Lucas Garcia Muramato, Lucas Santiago da Silva, Maria Luiza Sprogis, Pedro Álvares Szulak. Contrabaixos Ciro Aranha Gomes, Guilherme de Moura Glienke, Jaimes de Odilia S. C. Alburquerque, Leonardo Lourenço Lopes, Riverton Vilela Alves, Welinton Zanelatto Dal Pont, Harpa Suelem Rodrigues Quevedo Celesta Jean Philippe Abreu Molinari Flautas Ayron Yves, Lucas Martins, Ricardo Vendramin Ross. Oboés Eva Tavares, Maicon Alves Nogueira Clarinetes Camylla Carvalho, Letícia Moraes, Luciana Silva. Fagotes Felipe Toledo, Márcio Marinho. Trompas André Vieira Rocha, Edson Nascimento, Nathan Yohan, Paula Karoline de Campos. Trompetes Enrique Feliz, Evandro Lopes da Rocha Santos, Flavio T. Silva, Yuri Dias Grohamann. Trombones Ezequiel Lima, Reginaldo Thimóteo, Ricardo Pacheco. Tuba Giovanni Mowtini Sales, Silas Soares Cardoso Junior, Tímpanos Camila Cardoso, Carlon Ramos. Percussão Lina Abe, Lucas Sabem, Marcos Alves, Rafael Stori. CLASSE DE REGÊNCIA DA ORQUESTRA SINFÔNICA Da 35ª OFICINA DE MÚSICA DE CURITIBA Direção Artística Regente Abel Rocha Regente Assistente Natália Laranjeira Raphaela Lacerda. Jonas Mafra, Daniel Lima, Marcelo Falcão, Augusto Girotto, Gabriel Bergoc, Bruno Romero, José Echeverría, Jean Molinari, Giuseppe Laucas, Agostina Frisardi, Nicolas Ravelli Barreiro, Pedro Ferreira, Gabriel Correa, Pietro Barbosa, Ingrid Stein, Jean Philippe Molinari, Leandro Cardoso, Lucielle Moreira, Vitor Mendes. CLASSE DE CORO ADULTO - 35ª OFICINA DE MÚSICA DE CURITIBA Regente Mara Campos Preparação Vocal Lúcia Passos Pianista Clenice Ortigara MONITORES Soprano Débora Bérgamo, Contralto Daniele Oliveira, Tenor Maico Sant’ Anna, Baixo Cláudio de Biaggi. SOPRANOS Adelaide Poplade, Amina Sophia Nogueira, Ana Caroline Rodrigues Santana, Ana Cláudia Specht, Ana Elisa Santos Ferreira, Ana Lúcia Hoff, Ana Luíza Vargas, Ana Maria Alarcon Bresser, Angela Beatriz Meirelles, Angela Regina de Almeida Marques, Anne Christine Lermusiau, Aryane Camyle Kulik, Bruna Renata da Silva Faria Andersen, Bruna Rolin Barbosa, Caroline da Silva, Clarice Pereira, Cristiane Garcia Pires, Daniela Nathan, Daniela Skrepec do Livramento, Daniele Tomazoni Danielle Forbeci Suzuki Débora Morais Lopes Denise do Rocio Machado Edna Maria Vosgrau Ayabe, Elaine Cristina Melnik, Eliana Tiyoko Nakaguma, Eliane Regina Graciano, Elis Cristine Peremida, Elizabeth Assad Lange de Lara, Érica Souza da Silva, Eusenice Grisostre Pereira, Eva Monteiro Cardoso, Evelyn Nunes de Matos, Flora Mafalda Viana Vieira, Giovana de Figueiro Patussi, Grasiela Piasson, Ilka Siebert, Iraliz Martins Fantin, Isara Meneghetti Alves Dginkel, Jaciony de Melo Barbosa, Jéssica Paes de Almeida, Joana Haar Karam, Joana Magalhães Freitas, Joanne Cabreira Furtado, Jociéle Aparecida Gonçalves Puga, Josely Coimbra, Júlia de Moura Passon Simon, Juliana Lopes, Karine Hilgenberg Martins, Leandrina Dias de Castro, Lenita Maria Stanklewicz, Liana de Sá, Lígia Beatriz da Cunha Sant’ Anna, Lisane Arriaga da Rosa, Lisiane Cristina da Silva Pereira, Lucelene Dorine, Mara Silvanira Neves, Marcia Coelho Cavalheiro, Margarida Eiko Fujiwara, Manuela Palácio Poca, Maria Carmem Antunes, Maria de Lourdes Pinheiro, Maria Rosaria Fuji, Maria Eduarda Guimarães, Mariana Rezende, Marietta Paim, Mary Ines Vivian, Melissa de Paiva Pereira, Micheline Paitra Alves dos Santos, Morjana Guimarães, Nelsi Teresinha Guerra, Olga Maria Correa Ramme, Orly Bach, Patrícia Coffacci, Patrícia Padilha, Raquel de Moura E. de Andrade, Raquel Francielle Tani, Rita de Cássia Bomfati, Rosane Correa Luz Kumisaki, Rosele Maria Vidolin, Rosimeiri de Paula dos Santos, Sarah Kreuscher, Simone Rickli Gonçalves, Suellen Longen, Vera Maria Venske, Vera Lúcia Garcia Baena, Virgínia Mantovani Benevenuto, Vitória Favero Albuquerque. CONTRALTOS Adriane Smythe, Alda Melo, Aldine Maria, Ana Cristina EikoHayashi, Ana Lúcia Costa de Oliveira Santos, Ana Maria Ribeiro Althoff, Ana Maria Rosa Seixas, Ana Rita Chizzolini, Andressa Martins, Angela Maria Palacio Cortes, Ângela Gomes, Anna Kelly de Castro Oliveira, Anne Shirley Aurélia Brasil de Araújo, Bianca Nadiny Vieira dos Santos, Camie van der Brug, Carola Ysolina Soto de Pimentel, Celi Rejane Favero Albuquerque, Cibele Sophia Torres Dias Barbosa, Clarice Bomfim, Cláudia Maria Canestraro da Silva, Debora Morais Lopes, Edilange Xavier Alves,,Edna de Araújo Pinto Wrubleski, Elaine Cristina Melnik, Eliane Ivete Wal Elinei Beraldi, Elizabeth de Paula Ceccatto, Fernanda Raquel da Silva, Helena C. da Silva de Assis, Inês Hartt, Iracilda Maria Barancelli, Isar Conceição Oliveira Fonseca, Karla Bruning, Leda Pierrotti, Letícia Costa de Oliveira Santos, Liana Maria de Góis, Lígia de Oliveira Caldeira, Lucelene Dorini, Magali Silveira de Almeida, Mara Ferreira, Marcia Ananias, Margarete Schaffer, Maria Aparecida Passos, Maria Augusta Alves Sousa, Maria de Lourdes Alves Pinheiro, Maria do Amparo Marinho de Oliveira, Maria Elisa Becker Bonatti, Maria Lúcia Daldegan, Maria Fraga Batista, Maria Izabel Aires Kendrick, Maria Teresa Garcia Badoch, Mariana Fadel Peniche, Marilene Batista Junqueira, Marina Kazumi Okumura, Marlene Javoski Delfrate, Miriam Viviana Miranda Romaro, Nair S. Hosokawa, Najla Nicolau, Patrizia Juçara Ferri Pancotto, Regina Damiati, Renata Dorotea Scheller Faigle, Renato Costa Pinto, Reny Bispo de Jesus, Rosane Lucinda, Rosenei L. de Albuquerque, Salete Alves, Sandra Regina Horn, Selma Paula Guimarães, Shanti Ribeiro Mann, Sônia Regina da Silva de Souza,Tiemi Roseli Takahashi, Terezinha Galvan, Sônia F. S. Baraquetti, Vivian Schmitz; TENORES Augusto Girotto, Carlos Maurício Dilger, Daniel Cardoso Júnior Denize Lucas Machado, Edmar Anderson Lanes Júnior, Fábio de Freitas, Gabriel Almeida Laurindo, Gabriel Carvalho Bergoc, Gabriel Saber, Gustavo Machado, Igor Correia Santos, Ivete Maria Skobrot, Jaciony de Melo Barbosa, Jean Philippe Abreu Molinari, Johnatan Henrique Duarte de Sousa, José Carlos Copetti Sales, Lucas Willian Silva dos Santos, Luis Fernando Gouveia de Rolemberg Figueiredo, Luiz Guilherme Anselmo de Oliveira, Marcelo Silva Pereira de Castro, Marcos Berbet, Maurício Minozzo, Nancir Cardozo de França, Paulo Roberto de Lara, Plínio Mitsuro Nozaki Yano, Rafael Barrera Corrêa dos Santos, Renan Gabriel Ribeiro, Renan Rogge Taveira, Samuel dos Santos Machado, Venâncio Augusto Chaves. BAIXOS Acir José Matoso de Castro, Alexandre Felipe Martins di Pierro, Arno Roberto Buttendorff, Bernardo Davi Schaffer, Bruno Américo da Silva, Caio Augusto Lima de Castro, Carlos Alberto Guillen, Christian Cardoso Arruda, Cláudio de Biaggi, Cleverton Roger de Lima, Daniel Assad, Eduardo Giacomini, Felipe Damato de Lacerda, Fernando da Silva Magalhães, Gilmar Henrique Andersen, Guilherme Werner Junkes, Joao Francisco Agner Garmatter, José Carlos Amarante Gheller, Luiz Alberto Borges da Silveira, Luiz Fernando Quintino Rosin, Oneliton Depicoli dos Santos, Patrick Carlos Kondlatsch, Patrick Sampaio de Moraes, Paulo Bohn, Pedro Fischer, Pedro Hadelich Brasiliense, Rubens Jacinto Hipólito, Santiago Marreiros Rodrigues, Victor Américo da Silva, Vinícius Guerreiro Balles. 35ª Oficina de Música de Curitiba Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão) Centro Cultural Teatro Guaira 8 de fevereiro Curitiba - Paraná - Brasil



Fundação Cultural de Curitiba

Desenvolvido por Polvo Digital