21.06.2019 Portão Cultural recebe neste fim de semana a FIMS, feira de negócios musicais

Artistas e produtores estão reunidos no Portão Cultural para a feira de negócios na área musical, a FIMS. A abertura foi realizada na noite de quinta-feira (20), no Centro Cultural do Sesi, com a presença do diretor Administrativo-Financeiro da Fundação Cultural de Curitiba, Cristiano Morrissy, que representou a presidente da FCC, Ana Cristina de Castro, e o diretor de Ação Cultural, Beto Lanza. As atividades da feira acontecem até sábado (22), no Portão Cultural.

Produtores nacionais e estrangeiros estiveram na noite de abertura, celebrada com um show dos músicos curitibanos Lemoskine e Léo Fressato. O diretor da FIMS, Théo Ruiz, agradeceu a presença dos apoiadores da iniciativa, destacando a parceria da Prefeitura de Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba e Câmara Municipal de Curitiba.

“A Feira Internacional da Música do Sul é um espaço de negócios para profissionais da música. Tem como foco especial a produção da região Sul, que ainda tem menos visibilidade que a produção de outros estados. Ficamos felizes de colaborar na descoberta de novos artistas e alavancar carreiras”, disse Théo Ruiz. Ele citou como exemplo de artistas que prosperaram a partir da sua exposição na edição anterior da FIMS as bandas Tuyo e Machete Bomb.

Para o diretor de Ação Cultural da FCC, Beto Lanza, a iniciativa é importante porque ativa a cadeia da economia criativa ligada à música. “É uma oportunidade dada aos músicos, especialmente nos showcases musicais, de serem vistos por programadores que têm potencial de impulsionar suas carreiras. Além disso, é uma oportunidade de propiciar o encontro, a celebração da música como negócio, entretenimento e arte”, destacou Beto Lanza.

Um dos produtores presentes na abertura foi o irlandês David Mc Loughlin, que trabalha na promoção de artistas brasileiros no exterior. “Ele é um exportador de MPB”, explicou uma das coordenadoras da feira, Estrela Leminski. David disse estar à procura de bandas que já tenham uma certa estrutura profissional. Segundo ele, essas feiras são importantes porque os negócios no meio artísticos dependem de “networking”, o que se estabelece aos poucos a partir de vários encontros. Por isso, a FIMS, que já está em sua terceira edição, tem potencial para render bons frutos para os artistas participantes.

A feira

O evento reúne em Curitiba profissionais da cadeia produtiva e criativa da música com intuito de gerar negócios entre agentes e artistas. Na primeira edição, em 2017, foi gerado aproximadamente R$ 60 mil em recursos de show. Em 2018, foram 270 inscritos nos showcases, sendo 152 da região sul, 83 de outras regiões brasileiras e 36 da América do Sul, ultrapassando a marca de R$100 mil de recursos e negócios concretizados. Nas edições passadas a FIMS contribuiu para carreira de diversos artistas e projetos musicais com a circulação em festivais e turnês nacionais e internacionais, além de editais e premiações.

Após a edição de 2016 o compositor Ian Ramil recebeu Grammy Latino pelo melhor álbum de rock do ano. A façanha se repetiu na segunda edição da FIMS com a cantora e compositora gaúcha Anaadi, selecionada para o showcase e vencedora do Grammy Latino 2018 na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa.

Serviço:
Feira Internacional da Música do Sul – FIMS
Local: Portão Cultural – Av. República Argentina – 3430 – Portão
Datas: 20 a 22 de junho, das 14h às 10h
Site Oficial: www.fims.com.br/
Facebook: www.facebook.com/FIMSul
Instagram: www.instagram.com/fimsul
Twitter: www.twitter.com/FIMSul

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar