10.03.2020Índios, descobridores e curitibinhas celebram a fundação de Curitiba

Uma aula sobre a fundação de Curitiba em forma de teatro para 240 crianças de escolas municipais. Nesta terça-feira (10/3), heróis descobridores e índios Tinguis invadiram a Rua da Cidadania da Matriz, no Centro, na segunda apresentação da série de espetáculos em comemoração aos 327 anos de fundação da cidade.

O teatro educativo de curta duração, animado pelo personagem Curitibinha, foi visto e aplaudido pelos alunos e alunas das escolas municipais Caramuru, Mirazinha Braga e Vila Torres, ambas da Regional Matriz e também contou a presença especial de termas da escola municipal Campo Mourão, do Portão.

“Aqui, no coração da cidade, celebramos nossa história e queremos que vocês aprendam sobre ela para se sentirem donos dessa terra linda”, disse o prefeito Rafael Greca que acompanhou a apresentação.

O Auto da Fundação de Curitiba conta ainda com animação do personagem Curitibinha e da Banda Lyra Curitibana, e é encenada na frente de uma reprodução do quadro “A Fundação de Curitiba”, do artista Theodoro de Bona. A peça vai circular neste mês de março em todas as Regionais da cidade.

Num diálogo cheio de curiosidades históricas, os 13 atores encenam a aventura da chegada dos desbravadores portugueses como foi a chegada do Litoral ao planalto, o encontro com os índios habitantes da região e até o surgimento do nome da capital paranaense. O texto também celebra a vegetação natural, entre elas a araucária, espécie que produz o pinhão.

Coré-etuba é a palavra mais forte

A aluna Karoline Amorim de Almeida, do 5º ano da escola Vila Torres, afirma que o mais marcante do teatro foi o nome de Curitiba.

“Aprendi que os portugueses encontraram os índios e que Coré-etuba é a palavra mais forte”, disse.

A professora Maria Consuelo da Rocha, considera importante atividades lúdicas como estas, que reforçam o aprendizado dos conteúdos teóricos. “É um complemento do trabalho da sala, com a vantagem de ser mais dinâmico”, disse.

Na Matriz, estiveram presentes a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro; a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila; o presidente da Fundação de Ação Social, Thiago Ferro e o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Emílio Trautwein, além do administrador da Regional Matriz, Dirceu de Mattos.

Outras apresentações

O espetáculo poderá ser visto no Cajuru (sexta-feira, 13/3), no Boa Vista (segunda-feira, 16/3), no Boqueirão (terça-feira, 17/3), no Pinheirinho (quarta-feira, 18/3), no Bairro Novo (quinta-feira, 19/3), em Santa Felicidade (sexta-feira, 20/3), na CIC (segunda-feira, 23/3) e noTatuquara (terça-feira, 31/3).

Na região central, O Auto da Fundação de Curitiba também será apresentado em outros dois espaços conhecidos do público: o Memorial de Curitiba, no Centro Histórico e o Passeio Público, perto dali, também com entrada franca.

No Memorial, a encenação está marcada para dois domingos: 15/3 e 29/3, às 11h30 horas. Será uma boa pedida para quem estiver pensando em dar uma passada na feira do Largo da Ordem.

No Passeio Público, uma versão estendida da peça terá como palco a Ilha das Ilusões ou Ilha dos Poetas em três fins de semana seguidos: dias 21/3 e 22/3, 28/3 e 29/3, sábados e domingos, às 17 horas.

 

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar