23.05.2018Bienal Internacional de Curitiba vence prêmio da Associação Brasileira de Críticos de Arte

A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba é vencedora do Prêmio Rodrigo Mello Franco de Andrade, concedido pela Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) – a maior e mais respeitada organização de crítica de arte contemporânea no Brasil. A entrega da premiação aconteceu na noite desta terça-feira (22/5) em solenidade no Sesc Vila Mariana em São Paulo.

O prêmio homenageia instituições de todo o país pela programação e atividade no campo da arte e existe tradicionalmente desde 1978. Esta é a segunda vez que a Bienal de Curitiba vence um prêmio da ABCA: anteriormente recebeu, em 2011, um prêmio destaque.

A escolha da Bienal é resultado da votação de 150 associados da ABCA de todo o país. Outras nove categorias também foram contempladas na premiação que ocorre anualmente em São Paulo.

Sobre a Bienal de Curitiba
A Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba nasceu em 1993. Em 1997, iniciou suas atividades itinerantes por diferentes estados do Brasil e países da América Latina, trabalho que mantém até a atualidade. Além de realizar mostras de arte contemporânea, cinema e literatura, a Bienal também organiza circuitos e programações paralelas anuais, com o objetivo de expandir e solidificar seus vínculos locais.

Na edição 2017, realizada com o apoio da Prefeitura Municipal por meio da Fundação Cultural de Curitiba, a Bienal teve o título “Antípodas – Diverso e Reverso” e contou com a participação destacada da China como país homenageado. Apresentando 62 renomados artistas chineses tornou-se a maior exposição de arte chinesa contemporânea já apresentada na América Latina. A edição teve mais de 1 milhão de visitantes do Brasil e do mundo nos mais de cem espaços ocupados pela Bienal em Curitiba e em outras cidades do Paraná, Santa Catarina, Argentina e Paraguai.

Legado
Um dos principais legados da edição 2017 para a cidade foi a escultura em bronze de Confúcio, doada pelo governo chinês, instalada no Largo da China, no Centro Cívico. A obra em bronze fundido, medindo 3 metros de altura e pesando 1.500 quilos, é de autoria do renomado artista chinês Wu Weishen.
Outro resultado da realização da Bienal foi a doação de dois fornos de alta temperatura (1.300°C) para o Ateliê de Escultura do Centro de Criatividade de Curitiba. Os fornos foram doados pela Montana State University (EUA).

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar