04.11.2019Apresentação da Camerata é assistida em 118 mil lares do Brasil

A homenagem da Camerata Antiqua de Curitiba aos 165 anos do Cemitério São Francisco de Paula, com a execução do Réquiem de Mozart, foi assistida ao vivo em 118 mil lares do Brasil.

A apresentação contou com a presença do prefeito Rafael Greca e da primeira dama Margarita Sansone, lotou o Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, no Centro, e foi transmitida pela TV Evangelizar, que tem abrangência nacional.

“Nada é mais apropriado para um santuário de Maria, Mãe de Jesus, do que ouvirmos esse Réquiem, a última composição do compositor austríaco genial”, disse o prefeito.

Na tradição católica, lembrou Greca, o Réquiem é a peça musical eleita para a memória dos mortos e por isso foi a escolhida para ser tocada nas comemorações do Cemitério São Francisco de Paula.

“Vamos celebrar o repouso eterno dos curitibanos que há 165 anos deixaram de ser enterrados nas igrejas para terem um lugar nas colinas de São Francisco de Paula”, destacou.

O fundador da Associação Evangelizar e reitor do Santuário de Guadalupe, padre Reginaldo Manzotti, lembrou ainda que, para os católicos, o dia 3 de novembro é o Dia de Todos os Santos e agradeceu a oportunidade de receber os músicos da Camerata para divulgarem obras de mestres da música mundial.

“Temos a alegria de transmitir a Camerata de Curitiba para todo o Brasil. É um privilégio oferecer uma música tão bem executada para um povo sedento de cultura”, destacou Manzotti.

A apresentação contou com solistas convidados: a soprano Masami Ganev (Japão/Brasil-SC), a mezzosoprano Luciana Costa e Silva (RJ), o tenor Jacques Rocha (RJ) e o baixo Carlos Eduardo Marcos (SP).

Homenagem que emociona

Comandada pelo regente carioca Tobias Volkmann, a Camerata se apresentou para um santuário lotado e diante de câmeras que fizeram a transmissão simultânea para a TV Evangelizar e também pelo aplicativo, Facebook e canal do YouTube da emissora.

Quem assistiu dos bancos da igreja se emocionou, como o engenheiro mecânico Jairo Santos, 59 anos. “Bonito demais. Podem fazer sempre essas apresentações em lugares diferentes, fora do teatro”, disse.

“A escolha do lugar e o momento foram perfeitos para esta peça”, elogiou a enfermeira Marilisia Souza, 53 anos.

Música para os mortos

A 2,6 quilômetros de distância do Santuário de Guadalupe, o Cemitério Municipal São Francisco de Paula foi inaugurado em 1º de dezembro de 1854 pelo presidente de província Zacarias de Góes e Vasconcellos e representou o ingresso da capital nos preceitos higienistas. Em suas 5.743 construções distribuídas em pouco mais de 8 mil² “descansam em paz” 96 mil mortos.

Também assistiram à apresentação a presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Ana Cristina de Castro, e o diretor executivo do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac), Marino Galvão Junior.

Autor: Assessoria de Imprensa

Fonte: Fundação Cultural de Curitiba

Compartilhe:

Enviar pelo LinkedIn
imprimir voltar